Esporte

Palco de jogos históricos e grandes conquistas do futebol mineiro completa 70 anos

Independência foi palco de vários momentos históricos em seus 70 anos Foto: Pedro Mattos/ América

Um dos palcos mais importantes do futebol mineiro completa hoje 70 anos. O Independência, maior casa do esporte em Belo Horizonte até a chegada do Mineirão, foi inaugurado em 25 de junho de 1950 em grande estilo, com uma partida de Copa do Mundo. Naquele dia, a Iugoslávia fez 3 a 0 na Suíça, pelo grupo do Brasil no Mundial. O estádio foi erguido em um tempo relativamente curto, já que as obras começaram em 1948.

O estádio do Horto ainda seria palco de mais dois jogos naquela Copa do Mundo de 1950. Em 29 de junho, o Independência viu uma das maiores zebras da história, a vitória dos Estados Unidos sobre a Inglaterra, que disputava seu primeiro mundial. O triunfo de 1 a 0 virou até filme – apesar da surpreendente vitória, os EUA ficaram em último lugar no grupo B. Além disso, em 2 de julho, o futuro campeão Uruguai atropelou a Bolívia: 8 a 0, no único jogo do grupo D – a vitória confirmou a classificação do Uruguai para a fase final, no Rio de Janeiro.

 Ainda em 1950, o extinto Sete de Setembro começou a mandar seus jogos no Independência, o que fez com que o estádio fosse chamado popularmente de “Campo do Sete” por muito tempo. O que não era errado, já que o estádio foi propriedade do Sete de Setembro entre 1965 e 1989. Antes disso, era do Governo de Minas Gerais. E, depois, foi arrendado pelo América. O nome oficial do Independência, inclusive, é Estádio Raimundo Sampaio, antigo presidente do Sete. O apelido Independência vem exatamente do nome do clube, uma homenagem à data da independência do Brasil.

O primeiro campeão mineiro no novo estádio foi o Atlético, ainda em 1950. Em 1951, também no Horto, o Villa Nova levantaria seu último título estadual. O estádio viu também a primeira sequência de três títulos mineiros do Galo (1952, 53 e 54), feito inédito para o clube, que se sagraria penta em 1956. Entre 1959 e 1961 foi a vez de o Cruzeiro ser tricampeão no Horto. Quem também comemorou uma lista de três títulos no estádio foi o América, campeão estadual profissional aspirante e juvenil em 1957. O último campeão mineiro antes da era Mineirão foi o Siderúrgica, em 1964.

Estrelas

O estádio também recebeu estrelas dos anos 1950 e 1960, como Pelé e Garrincha, e os concorridos jogos do Campeonato Brasileiro de Seleções Estaduais, vencido por Minas Gerais em 1962. O jogo de ida da decisão foi disputado no Horto, diante de 32.721 torcedores, recorde do estádio. A partida contra a seleção do Rio de Janeiro foi disputada em janeiro de 1963 e vencida pelos mineiros  por 1 a 0. Na volta, outra vitória, por 2 a 1, no Maracanã, selou a conquista.

Anos mais tarde, estrelas de nível mundial passariam pelo Independência, mesmo que não atuassem de forma oficial no local. Foi o caso de Messi, que treinou com a Argentina no Horto antes dos jogos da seleção de seu país pela Copa do Mundo de 2014 e pela Copa América de 2019 no Mineirão.

Títulos nacionais e internacionais e marcas históricas

O Villa Nova voltaria a ser protagonista no Independência na década de 1970. Foi no Horto que o Leão conquistou o primeiro Campeonato Brasileiro da Série B, em 1971. A decisão foi disputada em três jogos, contra o Remo, do Pará. O Villa venceu os dois últimos no estádio.

O América também venceria a Série B no Horto, em 1997, diante do Vila Nova, de Goiás. O Coelho voltaria a ser campeão da segunda divisão nacional em 2017, feito celebrado com pompa no Independência. Em 2009, o América festejou no estádio a conquista da Série C do Brasileirão.

Uma marca histórica registrada no estádio é a maior goleada da história da Copa do Brasil. Foi no Independência que o Atlético fez 11 a 0 no Caiçara, do Piauí, em 1991, feito ainda não superado.

Entre os diversos grandes times que o Horto recebeu ao longo dos anos, destaque para o grande Milan dos anos 1990, que jogou contra o América no Independência em 1997, pela Copa Centenário.

 Anos depois, em 2013, o estádio receberia seis partidas do Atlético de Ronaldinho Gaúcho na Copa Libertadores. Foi no Horto que ocorreram lances históricos daquela conquista, como a defesa do goleiro Victor com o pé na cobrança de pênalti de Riascos, do Tijuana.

Reformas

O Independência, como todos conhecem hoje, inclusive pelo nome de Arena Independência, ganhou seu novo formato em 2012, mas a primeira grande reforma do estádio começou a ser feita em 1984. Na época, o Sete de Setembro repassou o Independência para o Governo de Minas Gerais, em regime de comodato. As reformas foram finalizadas em janeiro de 1986, quando um jogo entre Atlético e América marcou a reinauguração do estádio.

A segunda grande reforma começou a ser feita em 2010 e, em 25 de abril de 2012, o América inaugurou a nova arena com uma vitória de 2 a 1 sobre o Argentinos Juniors, da Argentina.

SuperFC

Avatar

Gleidson Almeida

COMENTAR

Clique aqui para enviar um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Eldorado1300

AGENDA

agosto 2020
D S T Q Q S S
 1
2345678
9101112131415
16171819202122
23242526272829
3031  

Publicidade

ARQUIVO GERAL

Alvaro Vilaça

Alvaro Vilaça

Jornalista, radialista, âncora do programa Tempo Esportivo na TV Sete Lagoas e diretor de programação da Rádio Eldorado AM1300

Gleidson Almeida

Avatar

SILVA JUNIOR

Silva Júnior

Silva Júnior

Silva Júnior - Jornalista, radialista, colunista e setorista do futebol sete-lagoano, assina ainda o programa Eldorado nos Esportes na Rádio Eldorado AM 1300

Cebolinha

Arnaldo Martins

Arnaldo Martins

Colunista do Hoje Cidade a mais de 20 anos, formado em Assistente de Administração de Empresas, funcionário público.

Rádio Eldorado