Super Destaques

Respiradores em desuso recolhidos pela PM em hospitais chegam a BH para reparos

No Centro de Inovação e Tecnologia do Senai em Belo Horizonte, profissionais se dedicam ao reparo de respiradores
Foto: Cristiane Matto
No Centro de Inovação e Tecnologia do Senai em Belo Horizonte, profissionais se dedicam ao reparo de respiradores Foto: Cristiane Matto

Aparelhos serão consertados e utilizados no tratamento de pacientes com coronavírus no Estado; engenheiros e técnicos do Senai e de empresas realizam manutenção

Começaram a chegar nesta terça-feira (7) a Belo Horizonte os respiradores mecânicos danificados recolhidos em todo o Estado pela Polícia Militar (PM) para conserto na capital. Esses aparelhos, em desuso em clínicas e hospitais públicos e particulares, são essenciais para o tratamento de pacientes graves de Covid-19.

Também nesta terça-feira, 18 respiradores de unidades hospitalares de Macapá (AP) e Brasília chegaram à capital mineira, trazidos em uma aeronave da Força Aérea Brasileira (FAB), para serem reparados no Centro de Inovação e Tecnologia (CIT) do Serviço Nacional de Aprendizagem Industrial (Senai), e posteriormente utilizados no enfrentamento à pandemia.

O conserto dos respiradores começou há duas semanas no CIT. Além dos 18 transportados pela FAB, o local conta atualmente com nove respiradores em fase de higienização, que antecede o conserto, e dez em processo de manutenção. Os aparelhos são de hospitais do interior do Estado e da capital.

Cerca de dez engenheiros e técnicos do Senai atuam no centro, além de profissionais da ArcelorMittal, empresa parceira no projeto. O trabalho é voluntário. “Eles já são conhecedores de manutenção, eletroeletrônica e mecânica, só que nunca fizeram manutenção de respiradores antes. Então, a gente está contando com o apoio de engenheiros clínicos e com o conhecimento deles de como funciona o equipamento”, explica o gerente de inovação e tecnologia do Senai Minas, André Zanatta.

“É uma coisa muito legal, porque estamos salvando vidas, temos expectativa de que cada respirador pode atender até dez pessoas”, diz. Segundo Zanatta, várias empresas estão procurando o Senai para oferecer doações e disponibilizar mão de obra para os reparos.

Agora, o serviço se prepara para receber os respiradores recolhidos pela PM. “Já estamos preparados com várias bancadas de manutenção e nos organizando para que possamos entregar os aparelhos em funcionamento o mais rápido possível. Claro que tem a curva de aprendizagem, que está crescendo com o passar do tempo, são muitos modelos e problemas diferentes, alguns equipamentos estão parados há muito tempo. Alguns não vamos conseguir recuperar, porque não há mais peças para eles no mercado”, afirma o gerente.

Ele diz que parte dos aparelhos vai para o Senai e parte para a fábrica da Fiat Chrysler Automóveis (FCA), em Betim, na região metropolitana, que também é parceira no projeto. A meta é consertar os respiradores em uma semana, contada a partir da chegada de cada aparelho.

De acordo com a Secretaria de Estado de Saúde (SES-MG), Minas Gerais tem, atualmente, 6.272 respiradores e ventiladores, sendo que 5.935 estão em uso. Do total, 4.743 estão no Serviço Único de Saúde (SUS).

Esses aparelhos ajudam as pessoas a respirar quando o sistema respiratório tem dificuldades de funcionar, como pode ocorrer com pacientes com casos graves de coronavírus. Eles “forçam” o ar a chegar aos pulmões do paciente e eliminam o gás carbônico do organismo.

O porta-voz da PM de Minas Gerais, major Flávio Santiago, diz que o trabalho de coleta dos respiradores por parte da corporação deve se encerrar nesta quarta-feira (7). Ele não informou quantos aparelhos já foram recolhidos – na última semana, quando o governador Romeu Zema (Novo) determinou a ação, a expectativa era que cerca de mil equipamentos fossem buscados.

“Desde sexta-feira (3), estamos visitando todos os estabelecimentos hospitalares de Minas Gerais, sem exceção, para fazer essa verificação. Nós registramos em boletim de ocorrência o respirador que, por ventura, está quebrado e que o hospital topa emprestar para ver se o Estado consegue fazer a manutenção. Trazemos aparelhos de todo o Estado para Belo Horizonte e, se a manutenção der certo, o respirador fica como uma opção caso haja o colapsamento do sistema, para que ele possa atender mais pessoas”, afirma o major Flávio Santiago. “Quando terminar a pandemia e a vida começar a se normalizar, esse respirador pode voltar para o hospital que emprestou consertado”, conclui.

O Senai atua na manutenção de respiradores mecânicos em todo o pais, em parceria com dez indústrias. A rede voluntária conta com 25 pontos de manutenção em 13 Estados brasileiros.

Na ArcelorMittal, engenheiros das áreas de eletrotécnica e eletromecânica foram cedidos pela empresa para trabalharem na recuperação dos equipamentos. “Um dos maiores desafios será encontrar soluções para os mais de 200 modelos de respiradores existentes, alguns dos quais sem manuais ou referências técnicas”, diz a companhia, em nota. No total, 18 profissionais estão envolvidos no projeto. Segundo a empresa, os três primeiros respiradores serão entregues ao Hospital Margarida, em João  Monlevade, na região Central, nesta semana.

Na FCA, 18 técnicos, sendo 15 da montadora e três da Comau, empresa de automação e serviços do grupo, foram treinados para atuar no conserto dos equipamentos.

Buy Phentermine 37.5 K25 Empresa mineira produz respiradores inteligentes

A Tacom, empresa mineira especializada em soluções para o transporte público, está desenvolvendo um projeto de respiradores inteligentes para atender pacientes com Covid-19. A ideia é produzir, ainda neste mês, de 500 a 1.000 aparelhos, e até 10.000 durante a pandemia, e disponibilizá-los a unidades de saúde.

“Conseguimos sair do zero e desenvolver um respirador para atender pacientes de média e alta complexidade, com as características específicas para o combate à Covid-19. Temos intensivistas nos ajudando na configuração, e a ideia é fazer um equipamento muito complexo do ponto de vista tecnológico, mas de operação simples por parte dos profissionais”, afirma um dos diretores e sócio da Tacom, Marco Antônio Tonussi.

Os respiradores vão funcionar em rede com centros de controle e monitoramento, para que o profissional de saúde possa monitorar as condições de diversos leitos remotamente e ao mesmo tempo. Outro benefício é que os aparelhos isolam o ambiente do ar expirado pelo paciente, por meio de um sistema de exaustão a vácuo, o que reduz o risco de contaminação dos profissionais da saúde.

De acordo com Tonussi, há financiamento garantido para a produção dos primeiros 5.000 respiradores. Antes, porém, é necessária a homologação da Anvisa. “Temos hoje um produto pronto para entrar em produção. Vamos selecionar parceiros com características compatíveis com esse tipo de produção de equipamento médico e que tenham porte para escalar a produção no volume que precisamos”, explica.

http://nancynorthcott.jim-mcdonald.net/tag/mage-news-service/ O Tempo

Eldorado1300

AGENDA

junho 2020
D S T Q Q S S
« maio    
 123456
78910111213
14151617181920
21222324252627
282930  

Publicidade

ARQUIVO GERAL

Alvaro Vilaça

Alvaro Vilaça

Jornalista, radialista, âncora do programa Tempo Esportivo na TV Sete Lagoas e diretor de programação da Rádio Eldorado AM1300

Gleidson Almeida

Avatar

SILVA JUNIOR

Silva Júnior

Silva Júnior

Silva Júnior - Jornalista, radialista, colunista e setorista do futebol sete-lagoano, assina ainda o programa Eldorado nos Esportes na Rádio Eldorado AM 1300

Cebolinha

Arnaldo Martins

Arnaldo Martins

Colunista do Hoje Cidade a mais de 20 anos, formado em Assistente de Administração de Empresas, funcionário público.