Os militares levaram a criança para a Unidade de Pronto-Atendimento (UPA) Diamante, mas ela acabou morrendo na unidade.

Agora, a polícia tenta levantar informações sobre como o bebê foi parar na lixeira.

Um outro caso aconteceu na manhã de domingo no Bairro  Universitário, Região da Pampulha. Um funcionário que dormia no galpão da empresa onde trabalha, na Rua Silveira Lobo, ouviu um barulho do lado de fora e, ao abrir o portão, encontrou uma recém-nascida dentro de uma caixa de papelão. Ele ligou para a chefia e foi orientado a levar a criança para dentro. O Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu) e a PM foram chamados.A menina foi levada ao Hospital Odilon Behrens, na Região Noroeste de Belo Horizonte. A equipe médica informou que ela estava com boa saúde.
De acordo com a PM, imagens de câmeras de segurança de uma casa na Rua Cosme e Damião, perto da empresa, mostram uma mulher que pode ser considerada suspeita. Às 7h08, ela aparece caminhando com dificuldade pela rua, carregando algo enrolado em um dos braços, além de uma caixa de papelão e uma sombrinha aberta como se quisesse cobrir o que levava. A mulher também olhava para trás. Os policiais chegaram a fazer um rastreamento ontem, mas não localizaram nenhum suspeito.

Da Redação com portal@hojeemdia.com.br 

e Estado de Minas