Cidade Super Destaques

URGENTE: Prefeito Duílio de Castro em entrevista à Radio Eldorado fala sobre a situação de Sete Lagoas, após vendaval

0ecfe1df-5a7f-4815-9258-884eaf15d7bc

Prefeito decreta estado de “Emergência” no município, após o vendaval de quarta-feira

Em entrevista nesta quinta-feira (7),  ao vivo à Rádio Eldorado o prefeito Duílio de Castro falou sobre as primeiras providências já tomadas, após o vendaval de quarta-feira (6) que provocou muitos estragos na cidade, principalmente na região central.

A prefeitura municipal, através de decreto oficializou o estado de ” Calamidade Pública”, para a busca de recursos junto aos governos estadual e federal,  além de viabilizar o município para a contratação de serviços necessários para os trabalhos de recuperação da cidade.

Qual a situação da cidade, após a chuva?

Duílio de Castro: Na quarta-feira à noite, já reunimos com a equipe no gabinete para as primeiras providências. Fomos para as ruas verificar ás diversas situações, principalmente na região central, a mais atingida com as chuvas. Posso afirmar, que pelos primeiros levantamentos os estragos foram maiores do que no primeiro temporal com muitas quedas de árvores, destelhamentos de estabelecimentos comerciais, residenciais. Na unidade da Itambé, tivemos vítimas que foram atendidas no Hospital Municipal, mas sem nenhum óbito graças a Deus. Iniciamos  Corpo de Bombeiros, empresas de telefonia, de internet, a própria  Guarda Municipal e a Polícia Militar. Tivemos muitas vias obstruídas com a queda de árvores. Estamos com uma mobilização geral, um mutirão mesmo para minimizar os problemas.

Já decretou situação de Emergência no município?

Duílio: Sim,  decretamos o estado de emergência, porque vamos precisar  de  contratar serviços em caráter emergencial,  vamos tentar viabilizar recursos junto aos governos Estadual e Federal. Estamos tomando todas as providências, inclusive com visitas em vários locais desde a quarta-feira. Ainda estamos preparando o relatório para contabilizar o prejuízo, uma vez que apesar de rápida o estrago foi grande. Graças a Deus tivemos regiões que não foram atingidas, mais a região central mesmo.

O Terminal Rodoviário foi bastante atingido, mas é responsabilidade da empresa terceirizada?

Realmente foi um dos locais bastante atingidos com estragos dentro e nas proximidades da praça. Já reunimos com  o responsável e as providências já estão sendo tomadas pela  Santarém. A parte de telhado terá que ser recuperada para voltar à normalidade o mais rápido possível.

É preciso a compreensão da população, já que tudo demanda tempo para solucionar todas as situações?

Duílio : Sem dúvida, estamos com toda a equipe empenhada. Foi fenômeno da natureza e tudo muito imprevisível. Não vamos conseguir resolver tudo em uma só vez, até porque ainda temos problemas do temporal anterior sendo resolvido. Pedimos  mais uma vez a compreensão da população e, ao mesmo tempo queremos tranquilizar uma vez  que estamos mobilizados com toda nossa equipe coordenada pelo secretário Fabrício Nascimento que está  a frente deste trabalho desde o primeiro temporal. Estamos com todos os órgãos mobilizados neste sentido. Contra a força da natureza, até pode ser por erros cometidos por nós principalmente contra o meio ambiente. Estamos empenhados para limpar e trazer à normalidade da cidade o mais rápido possível, principalmente com relação ao sistema viário.

DECRETO Nº 6.167 DE 07 DE NOVEMBRO DE 2019. DECLARA SITUAÇÃO DE EMERGÊNCIA NO MUNICÍPIO DE SETE LAGOAS, EM DECORRÊNCIA DOS EFEITOS DAS CHUVAS INTENSAS, OCASIONANDO PREJUÍZOS PÚBLICOS DE GRANDE REPERCUSSÃO NA CIDADE.

O Prefeito do Município de Sete Lagoas, no uso das atribuições legais que lhe são conferidas pelo inciso IX do artigo 102 da Lei Orgânica do Município; Considerando que o inciso XXX do artigo 102 da Lei Orgânica do Município determina que compete ao Prefeito decretar estado de emergência, quando for necessário preservar ou prontamente restabelecer, em locais determinados e restritos do Município, a ordem pública ou a paz social; Considerando que o inciso VI do artigo 8º da Lei Federal nº 12.608, de 10 de abril de 2012, também estabelece que compete aos Municípios declarar situação de emergência e estado de calamidade pública; Considerando que conforme amplamente divulgado pelos institutos de meteorologia e pela imprensa local e até mesmo nacional, a região onde se encontra localizado o Município de Sete Lagoas tem suportado nos últimos dias e ainda suportará nos próximos um volume de chuva muito superior a média considerada normal pelos especialistas; Considerando que, de acordo com relatado pela Secretaria Municipal de Meio Ambiente, Desenvolvimento Econômico e Turismo, devido ao período de volumosas chuvas em nossa região acompanhadas de fortes ventos, houve uma grande incidência de quedas de árvores e tombamentos em vias e logradouros públicos; Considerando a intensa danificação das vias públicas afetadas por queda de árvores, barreiras, buracos que prejudicam sobremaneira a circulação, além de, em alguns pontos, impedi-la; Considerando, por fim, que a situação emergencial relatada teve como causa exclusiva a imprevisibilidade do volume de chuvas e está gerando risco potencial à população setelagoana; DECRETA: Art. 1º Fica declarada situação de emergência no Município de Sete Lagoas, em decorrência dos efeitos das chuvas intensas, ocasionando prejuízos públicos de grande repercussão na cidade. Art. 2º Fica autorizada a mobilização de todos os órgãos municipais para atuarem sob a organização da Coordenadoria de Proteção e Defesa Civil do Município, nas ações de resposta aos danos causados pelos fortes ventos e pelas chuvas e reabilitação do cenário e reconstrução. Art. 3º Fica autorizada a convocação de voluntários para reforçar as ações de resposta ao desastre e realização de campanhas de arrecadação de recursos junto à comunidade, com o objetivo de facilitar as ações de assistência à população afetada, sob a coordenação da Defesa Civil do Município. Art. 4º Com base no inciso IV do artigo 24 da Lei Federal nº 8.666, de 21 de junho de 1993, sem prejuízo das restrições da Lei Complementar n° 101, de 04 de maio de 2000 (Lei de Responsabilidade Fiscal), ficam dispensados de licitação os contratos de aquisição de bens necessários às atividades de resposta aos danos, de prestação de serviços e de obras relacionadas com a reabilitação dos cenários dos sinistros, desde que possam ser concluídas no prazo máximo de 30 (trinta) dias consecutivos e ininterruptos, contados a partir da ocorrência da emergência, vedada a prorrogação dos respectivos contratos. Diário Oficial Eletrônico do Município de Sete Lagoas Ano 7 Sete Lagoas, 07 de novembro de 2019 Número 1595-A Página 2 Art. 5º Este Decreto entra em vigor na data de sua publicação, vigorando por 30 (trinta) dias. Prefeitura Municipal de Sete Lagoas, 07 de novembro de 2019.

Assinam o decreto:

DUÍLIO DE CASTRO FARIA Prefeito Municipal FABRÍCIO AUGUSTO CARVALHO DO NASCIMENTO Secretário Municipal de Meio Ambiente, Desenvolvimento Econômico e Turismo NILSON JOSÉ PEREIRA Coordenador Municipal de Proteção e Defesa Civil MAURÍCIO REIS CAMPOLINA Secretário Municipal de Obras, Segurança, Trânsito e Transporte FRANCIS HENRIQUE DA SILVA Secretário Municipal de Fazenda, Administração, Planejamento, Tecnologia e Comunicação Social EDMUNDO DINIZ ALVES Consultor de Licitações e Compras HELISSON PAIVA ROCHA Procurador Geral do MunicípioIMG-20191106-WA0415

 

 

 

Eldorado1300

AGENDA

novembro 2019
D S T Q Q S S
« out    
 12
3456789
10111213141516
17181920212223
24252627282930

Publicidade

ARQUIVO GERAL

Alvaro Vilaça

Alvaro Vilaça

Jornalista, radialista, âncora do programa Tempo Esportivo na TV Sete Lagoas e diretor de programação da Rádio Eldorado AM1300

Linda Martins

Linda Martins

SILVA JUNIOR

Silva Júnior

Silva Júnior

Silva Júnior - Jornalista, radialista, colunista e setorista do futebol sete-lagoano, assina ainda o programa Eldorado nos Esportes na Rádio Eldorado AM 1300

Cebolinha

Arnaldo Martins

Arnaldo Martins

Colunista do Hoje Cidade a mais de 20 anos, formado em Assistente de Administração de Empresas, funcionário público.