Esporte

Santana aprova atuação do Atlético em derrota, vê placar injusto e explica situação de Cazares

Foto: Web
Foto: Web

Treinador disse que time se comportou bem em campo diante do Palmeiras

Mesmo com a derrota por 2 a 0 sobre o Palmeiras e a perda da liderança do Campeonato Brasileiro, Rodrigo Santana aprovou a atuação do Atlético, na tarde deste domingo, no Mineirão. O técnico do Galo disse que a equipe se comportou bem, teve mais volume de jogo e que não viu o time ser envolvido pelo time paulista.
Santana enalteceu o Palmeiras, que emplacou 27 jogos de invencibilidade no Brasileiro, contando com a temporada passada. O técnico afirmou que o principal pecado do Galo na partida foi ter perdido as segundas e terceiras bolas, que proporcionaram os gols alviverdes no Mineirão.
“Eu acredito que a gente fez um bom jogo, principalmente no primeiro tempo. Faltando um minuto para acabar o primeiro tempo, acho que foi aos 44, a gente acabou tomando um gol. A gente sabia da proposta do Palmeiras, muito jogo aéreo no Deyverson, e eles ganham muito bem essa segunda bola, time muito bem postado. A gente tinha consciência desse perigo, mas eles conseguiram pegar a gente aberto ali e criaram essa situação. Acredito que foi isso. Dentro dessa competição, ganha quem erra menos. Eles foram muito eficientes, o Bruno estava em um dia muito bom, conseguiu encaixar esses chutes no funil, que nos surpreendeu. A gente teve mais volume de jogo, fizemos um grande jogo, a equipe foi bem, mas a gente tem que enaltecer que estamos enfrentando o atual campeão brasileiro, que já vem trabalhando juntos há muito tempo, com um grande treinador, uma equipe que não toma gol há muito tempo, que está invicta há 27 jogos”, afirmou.
Rodrigo disse que faltou um gol para coroar a boa atuação do Atlético na partida. O técnico destacou a segurança do time no primeiro tempo, até sofrer gol nos minutos finais. O comandante alvinegro pediu foco para o duelo contra o Santos, na quarta-feira, às 19h15, no Independência, pela partida de ida das oitavas de final da Copa do Brasil.
“Acho que faltou para a gente o gol. Estávamos muito tranquilos, seguros, o jogo estava muito controlado para a gente no primeiro tempo. Não vejo o 2 a 0 como placar justo. Tomamos gol no intervalo, conversamos, só ajustei a segunda bola. Faltou tranquilidade para o último passe. Temos que analisar o vídeo com a nossa comissão, analisar o Santos, para encaixar o jogo e recuperar nossos atletas, que se desgastaram. Trabalhamos em alto nível nesse jogo, e nos desgastamos bastante”, observou.
Rodrigo Santana também detalhou a situação de Cazares. O equatoriano se recuperou de dores e treinou normalmente durante a semana, indicando que poderia ser titular. No entanto, o meio-campista ficou no banco de reservas e não foi acionado no decorrer da partida.
“Foi opção minha mesmo, pelas condições físicas. O jogo estava muito quente, um jogo de muita transição, tanto ofensiva como defensivamente. Segundo tempo o próprio Palmeiras deixou o Dudu e o Deyverson lá na frente. Tínhamos que atacar defendendo o tempo inteiro, e de repente o Cazares, que treinou a semana toda até mais pesado que o restante do grupo todo, está com as pernas inchadas. Optamos por segurar um pouco, dar mais um dia de treino amanhã e terça, para ver se quarta ele terá um pouco mais de condição de jogo. Essa foi a nossa intenção”, concluiu.
Da redação:superesportes

Eldorado1300

AGENDA

maio 2019
D S T Q Q S S
« abr    
 1234
567891011
12131415161718
19202122232425
262728293031  

Publicidade

ARQUIVO GERAL

Alvaro Vilaça

Alvaro Vilaça

Jornalista, radialista, âncora do programa Tempo Esportivo na TV Sete Lagoas e diretor de programação da Rádio Eldorado AM1300

Thiago Maia

Thiago Maia

SILVA JUNIOR

Silva Júnior

Silva Júnior

Silva Júnior - Jornalista, radialista, colunista e setorista do futebol sete-lagoano, assina ainda o programa Eldorado nos Esportes na Rádio Eldorado AM 1300

Cebolinha

Arnaldo Martins

Arnaldo Martins

Colunista do Hoje Cidade a mais de 20 anos, formado em Assistente de Administração de Empresas, funcionário público.