Saúde Super Destaques

Casos de dengue mais que dobram em Minas em relação a 2018 inteiro

Maurício Vieira /
Maurício Vieira /

O primeiro trimestre deste ano nem acabou e já traz uma preocupante estatística. De janeiro a março, o Minas registrou mais de 66 mil casos de dengue – 127% maior do que todas as notificações em 2018 no território, quando foram pouco mais de 29 mil.

De 17 de fevereiro até o último dia 16, 93 municípios mineiros apresentaram alta ou muito alta de incidência de casos, informou a Secretaria de Saúde (SES). Até agora, seis mortes pela doença foram confirmadas e outras 27 são investigadas.

Contagem, na Grande BH, é uma das localidades que demandam atenção. Por lá, em 2019, já são 3.301 notificações de dengue, contra 1.274 nos doze meses do ano passado.

Um dos casos é o de João Vítor, de 5 anos, morador do bairro Industrial São Luiz. O menino começou a apresentar os sintomas da enfermidade em 18 de março. Foram três dias de internação.

O pai do garoto, Anderson Mayrink, de 47, afirma que outros vizinhos também foram infectados. Os moradores acreditam que o foco do mosquito Aedes aegypti está em um galpão abandonado entre as ruas Maripá e Monte Belo. “Tem muito mato e água parada. Não teve capina e ninguém tem acesso porque está murado”, disse Anderson.

A Prefeitura de Contagem pretende construir um centro de saúde no terreno e, até na próxima semana, promete limpar o espaço. No momento, “está priorizando a limpeza das escolas municipais e dos postos de saúde da região”, afirmou a pasta, em nota.

Ciclos

Presidente da Sociedade Mineira de Infectologia (SMI), Estevão Urbano diz que já era esperada a explosão de casos em 2019. Segundo ele, é comum as epidemias de dengue terem ciclos a cada três anos. A última foi em 2016.

“Vários fatores explicam. Existe a mudança do vírus em circulação. As pessoas ficam imunes durante um tempo para um tipo, mas depois aparece outro. Também tem a ver com as mudanças populacionais nos grandes centros e a circulação de pessoas”, detalha o especialista.

O médico diz, ainda, que a população tende a relaxar no controle dos focos de criação do Aedes em época de controle da enfermidade.

Rodrigo Said, coordenador do Programa de Dengue do Ministério da Saúde, destacou que, neste ano, voltou a circular no país o sorotipo 2 da dengue, que há muito tempo não era registrado – o último surto foi em 2002.

O gestor afirma que equipes da pasta acompanham Brumadinho, atingido pelo rompimento da barragem em 25 de janeiro. Existe a preocupação de que, com o impacto ambiental provocado pela tragédia, haja um expressivo aumento de vetores.

Combate

Em nota, a Secretaria de Saúde de Minas afirma que a combinação de tempo quente e chuvoso favorável à proliferação do mosquito são os causadores do aumento de casos, que também já era previsto. “Até o momento, 2019 segue a tendência de anos epidêmicos, no entanto, com menor intensidade que as duas últimas epidemias”.

*Com Hoje em Dia

Barbara Dias

Barbara Dias

Jornalista com especialização em publicidade e marketing, coordenadora do Portal Sete, editora chefe do Jornal Hoje Cidade e asinsa o programa Tarde Viva na Rádio Eldorado AM 1300

COMENTAR

Clique aqui para enviar um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Eldorado1300

AGENDA

maio 2019
D S T Q Q S S
« abr    
 1234
567891011
12131415161718
19202122232425
262728293031  

Publicidade

ARQUIVO GERAL

Alvaro Vilaça

Alvaro Vilaça

Jornalista, radialista, âncora do programa Tempo Esportivo na TV Sete Lagoas e diretor de programação da Rádio Eldorado AM1300

Barbara Dias

Barbara Dias

Jornalista com especialização em publicidade e marketing, coordenadora do Portal Sete, editora chefe do Jornal Hoje Cidade e asinsa o programa Tarde Viva na Rádio Eldorado AM 1300

SILVA JUNIOR

Silva Júnior

Silva Júnior

Silva Júnior - Jornalista, radialista, colunista e setorista do futebol sete-lagoano, assina ainda o programa Eldorado nos Esportes na Rádio Eldorado AM 1300

Cebolinha

Arnaldo Martins

Arnaldo Martins

Colunista do Hoje Cidade a mais de 20 anos, formado em Assistente de Administração de Empresas, funcionário público.