Agenda Cultural

Mulher Trans será Rainha de Bateria da Mocidade Independente Bem-te-vi

Barbara Dias como musa da Bem-te-vi no desfile de 2018, fotografada por Mauricio Vieira do Jornal Hoje em Dia
Barbara Dias como musa da Bem-te-vi no desfile de 2018, fotografada por Mauricio Vieira do Jornal Hoje em Dia
Pelo segundo ano consecutivo, jornalista e musa trans Barbara Dias conta que realiza um sonho de infância e considera natural a indicação do carnavalesco
 
Vencendo as barreiras do preconceito e empregando o respeito à diversidade e à cidadania, a Mocidade Independente Bem-te-vi de Belo Horizonte, em parceria com o G.R.E.S. Unidos Bunitas de Tá Querida de Sete Lagoas, levará à avenida do samba da capital mineira, pela segunda vez consecutiva, uma musa da diversidade, mas que ganhou das agremiações o mesmo destaque das demais. Neste ano, Barbara Dias foi condecorada como Rainha da Bateria por estar sempre junto à comunidade das agremiações, além de trabalhar junto aos veículos midiáticos, a divulgação das atividades e realizações das duas escolas de samba. 
 
Barbara Dias é musa trans e estreou no carnaval belo-horizontino em 2018, à frente da ala das baianas com a fantasia ‘Ancestralidade da Fé’. Sua participação chamou a atenção do público, jurados e imprensa, pelo seu samba, carisma e claro, pela inovação da diretoria em levar para a avenida uma musa da diversidade para abrir alas às baianas, talvez a mais tradicional e uma das mais queridas alas de todos os entusiastas dos desfiles de escolas de samba.
 
A rainha da bateria da Bem-te-vi 2019 irá vestir um traje inspirado nas vaquejadas e confeccionado por Gustavo Abreu, figurinista e stylist de musas do carnaval do Rio de Janeiro e São Paulo, como Dani Sperle, de volta à União da Ilha neste ano e conhecida como a musa do menor tapa-sexo.
 
O presidente da Unidos Bunitas de Tá Querida e carnavalesco da Bem-te-vi, Aloiz Marinho contou a nossa reportagem sobre como é ter uma musa trans na escola e como surgiu o convite para o desfile. “Nossa escola é composta de integrantes dos mais diversos meios, tribos e núcleos sociais. Não trabalhamos com o preconceito e não aceitamos qualquer tipo de discriminação.  A Barbara Dias é uma componente como qualquer outra, faz parte da comunidade e faz jus ao posto de destaque pelo desempenho, atitude, colaboração à escola dentro outros adjetivos. Em 2018 conseguimos voltar ao carnaval belo-horizontino com notas maiores que algumas agremiações que disputavam o título, e como dizem, se em time que está ganhando não se mexe, teremos novamente musa trans na avenida e tenho certeza que não me decepcionarei. Faremos um carnaval lindo de viver, com respeito à diversidade e ao público que vai à avenida para assistir um carnaval bem feito, animado e tocante”, enalteceu o carnavalesco.
 
Jornalista formada em Comunicação Social e Publicidade, editora chefe de um impresso semanal em Sete Lagoas, além de apresentadora de programas de rádio, a rainha Barbara Dias considera o posto uma conquista, mas principalmente se orgulha do respeito que recebeu de seus diretores, o que acredita que deveria ser mais comum nas demais escolas. “Desfilar em Belo Horizonte foi pra mim uma honra e uma realização, e ser musa, abrindo ala para as Baianas, tão tradicionais e amadas por todos, mostra o respeito que os presidentes das agremiações, Aloiz Marinho e Luiz Carlos Novais tiveram pela minha histórias e a equidade com que toda nossa comunidade é tratada”, ressaltou. 
 
Quando questionada sobre escolas que vem destacando mulheres trans nos desfiles por todo o Brasil Barbara foi enfática. “Não é motivo pra tanto barulho. É importante que nossas meninas e meninos trans ocupem os lugares que lutamos para conquistar, mas não deveria ser meritório uma agremiação ser manchete por levar à avenida uma musa trans. Esse reconhecimento ao nosso lugar de direito ou de conquista deveria ser encarado com naturalidade e com respeito mútuo”, relatou Barbara completando sobre sua paixão pela festa de Momo. “O carnaval está em minha vida desde a mais tenra infância. Em Sete Lagoas e pela televisão, assistia às Escolas de Samba e sonhava um dia desfilar com toda aquela pompa. A Bem-te-vi e a Unidos Bunitas de Tá Querida realizaram meu sonho de criança. Prometo aos meus presidentes me doar ao máximo, fazendo tudo para que a Bem-te-vi encerre o desfile de 2019 entre as campeãs do carnaval belo-horizontino”, finalizou Dias.
OR.E.S Mocidade Independente Bem-te-vi, fundado em 1979 voltou à avenida no ano passado, após um jejum sem desfilar desde 2016. A Bem-te-vi foi a primeira a entrar na avenida em 2018 quando homenageou os 150 anos de Sete Lagoas, cidade dos lagos encantados e situada a cerca de 70km de Belo Horizonte.
 
De volta ao tradicional carnaval belo-horizontino, a Bem-te-vi homenageará o povo nordestino que busca melhores condições de vida na região sudeste. Com o enredo, “Das bandas de lá, para as bandas de cá, o Nordeste veio nos visitar”, a agremiação, em parceria com a Unidos Bunitas de Tá Querida, levará para a avenida a cultura, a batalha, as nuances naturais do Nordeste e principalmente a alegria dos nordestinos que, assim como os mineiros, ultrapassam dificuldades da vida em busca de melhores dias.
Barbara Dias - By Mauricio Vieira - Jornal Hoje em Dia (1)
Ascom Unidos Bunitas de Tá Querida

Eldorado1300

AGENDA

outubro 2019
D S T Q Q S S
« set    
 12345
6789101112
13141516171819
20212223242526
2728293031  

Publicidade

ARQUIVO GERAL

Alvaro Vilaça

Alvaro Vilaça

Jornalista, radialista, âncora do programa Tempo Esportivo na TV Sete Lagoas e diretor de programação da Rádio Eldorado AM1300

Linda Martins

Linda Martins

SILVA JUNIOR

Silva Júnior

Silva Júnior

Silva Júnior - Jornalista, radialista, colunista e setorista do futebol sete-lagoano, assina ainda o programa Eldorado nos Esportes na Rádio Eldorado AM 1300

Cebolinha

Arnaldo Martins

Arnaldo Martins

Colunista do Hoje Cidade a mais de 20 anos, formado em Assistente de Administração de Empresas, funcionário público.