Esporte

Levir cita até 1950 para elogiar Danubio e alertar Atlético após empate na Libertadores

Foto: Web

Times ficaram no 2 a 2 no jogo de ida da segunda fase do torneio continental

O dia 16 de julho de 1950 foi citado pelo técnico Levir Culpi para acender o sinal de alerta dos jogadores do Atlético após o empate por 2 a 2 com o Danubio, nessa terça-feira, pela ida da segunda fase da Copa Libertadores. Naquele fatídico dia, a Seleção Brasileira sofreu uma das mais duras derrotas da história. Em pleno Maracanã, o Uruguai venceu por 2 a 1, calou quase 200 mil pessoas e conquistou a Copa do Mundo pela segunda vez.

“A última vez que um time uruguaio surpreendeu a gente foi em 1950. De lá para cá a gente espera tudo. Quase acontece hoje (terça-feira) também. Se o time não estivesse bem equilibrado, poderíamos perder a partida”, lembrou Levir Culpi, que usou o ‘Maracanazo’ como forma de chamar atenção dos jogadores do Atlético depois do resultado dessa terça, no estádio Luis Franzini, em Montevidéu, capital do Uruguai.
Para se classificar à terceira fase ainda no tempo regulamentar, o time mineiro precisa vencer ou até mesmo empatar por 0 a 0 ou 1 a 1. Novo 2 a 2 leva a decisão para os pênaltis. A equipe que passar enfrenta o ganhador do confronto entre Defensor-URU e Barcelona de Guayaquil-EQU.
O Danubio
Com elenco modesto e cheio de jovens jogadores, o time uruguaio chamou atenção do técnico Levir Culpi. O comandante atleticano admitiu que esperava uma partida com mais contato físico. O que se viu, entretanto, foi um Danubio que se propôs a atacar e pressionar a saída de jogo.
“Não foi um jogo de choque físico. O time deles é bem articulado, que toca bem a bola. É um time bem armado, de toque de bola. Esperava um jogo um pouco mais físico. O que deu para perceber é que o Danubio tem uma equipe equilibrada, tem jogadores jovens, e é uma vantagem, porque os jogadores fisicamente estão firmes. Eles correram muito”, analisou Levir.
Autor dos dois gols do Atlético na partida, o centroavante Ricardo Oliveira fez coro à avaliação do treinador. O atacante de 38 anos cobrou atenção da equipe mineira na partida de volta. “Então, a gente sai daqui hoje entendendo que não é um time ruim (o Danubio), não é um time bobo, a gente vai ter dificuldade sim, mas que nós precisamos elevar o grau da nossa concentração para poder fazer um grande jogo na volta e passar dessa fase”, analisou.
Atlético e Danubio decidem a vaga na terceira fase na próxima terça-feira, dia 12 de fevereiro. A partida está marcada para 19h15 (de Brasília), em Belo Horizonte.
Da redação:superesportes

Thiago Maia

Thiago Maia

COMENTAR

Clique aqui para enviar um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Eldorado1300

AGENDA

setembro 2020
D S T Q Q S S
 12345
6789101112
13141516171819
20212223242526
27282930  

Publicidade

ARQUIVO GERAL

Alvaro Vilaça

Alvaro Vilaça

Jornalista, radialista, âncora do programa Tempo Esportivo na TV Sete Lagoas e diretor de programação da Rádio Eldorado AM1300

Thiago Maia

Thiago Maia

SILVA JUNIOR

Silva Júnior

Silva Júnior

Silva Júnior - Jornalista, radialista, colunista e setorista do futebol sete-lagoano, assina ainda o programa Eldorado nos Esportes na Rádio Eldorado AM 1300

Cebolinha

Arnaldo Martins

Arnaldo Martins

Colunista do Hoje Cidade a mais de 20 anos, formado em Assistente de Administração de Empresas, funcionário público.

Rádio Eldorado