Armadilhas na BR-040 a caminho das férias

0
205
Falta pavimento e sobra lama nos espaços
Pavimento irregular, desnível, trincas, lama e um sem número de buracos. Essas são algumas das armadilhas enfrentadas por motoristas que trafegam pela BR-040, no trecho privatizado entre Belo Horizonte e Congonhas, na região Central de Minas. Para percorrer o trajeto, de cerca de 70 quilômetros, condutores de carros de passeio devem pagar pedágio de R$ 5,30.
As más condições da via pioraram nas últimas semanas, após as fortes chuvas. Porém, alguns motoristas garantem que a situação se agravou em 2018. Quem passa pela estrada reclama dos riscos de acidentes e atraso na entrega de mercadorias. Operações de tapa-buraco são feitas em alguns pontos.
O alerta é ainda maior para os próximos dias. Férias escolares e festas de fim de ano devem deixar o fluxo de veículos mais intenso. “Requer muito mais atenção. A gente precisa desviar, mas, às vezes, uma moto está passando na pista lateral e o perigo aumenta”, diz o caminhoneiro José Roberto da Silva, de 59 anos.
Atuando há três décadas na profissão, ele reclama dos gastos com pedágio. “A rodovia está da mesma forma que era antes. Então, para que privatizou? A gente paga para ter a conservação, mas não há manutenção”, acrescenta o motorista, que passa pelo trecho semanalmente.
Em 2017, a Via 040 solicitou à Agência Nacional de Transportes Terrestres a entrega da rodovia. O pedido aguarda a regulamentação de lei que agiliza e autoriza relicitações de estradas e aeroportos
Perigo
Condutores também enfrentam problemas nos acostamentos. As áreas de escape, em alguns casos, estão sem pavimentação. Há buracos e barro. “É uma estrada bem perigosa, com muitas curvas. Se não providenciarem uma manutenção, vai causar muitos acidentes”, afirma o também caminhoneiro Lúcio Flávio Felipe, de 39 anos. “Desde quando começou a chuva, eles só tapam o buraco. A pista não é recapeada e fica cheia de lombadas”.
As condições das rodovias no período chuvoso preocupam o presidente da Associação Mineira de Medicina do Tráfego (Ammetra), Arilson de Sousa Carvalho Junior. Ele considera que, na época das festas de fim de ano, os acidentes podem aumentar. “O tráfego se torna mais perigoso, influencia nas estatísticas. Entendemos que a chuva impacta na qualidade das pistas, mas sendo uma via concedida, há condições de reparos mais rápidos”, diz o médico.
Via 040
Responsável pela manutenção da estrada entre Juiz de Fora, na Zona da Mata, e Brasília, a Via 040 informou que equipes extras foram colocadas no trecho entre BH e Congonhas para intensificar a manutenção do asfalto. Além do reforço por causa das chuvas, a concessionária disse que o intenso tráfego de veículos que prestam serviços para mineradoras dificulta a conservação.
A empresa não divulgou o investimento feito na rodovia.

*Hoje em Dia

Deixe uma resposta