América perde pênalti, leva castigo e dá adeus à Série A com derrota no Maracanã

0
49
Foto: Web

Coelho desperdiça cobrança com Luan e cai para o Fluminense no Rio

O América lutou muito, mas esbarrou na falta de competência – e também sorte – para se manter na Série A do Brasileiro. Na última rodada, o Coelho perdeu para o Fluminense por 1 a 0, neste domingo, no Maracanã, e foi rebaixado para a Segunda Divisão. Richard fez o gol que garantiu o Tricolor na elite. O time mineiro pode lamentar as oportunidades desperdiçadas. A principal delas foi um pênalti batido por Luan e defendido pelo goleiro Júlio César, herói da tarde, quando o placar ainda estava zerado.
Enquanto Júlio César foi o herói do Fluminense e deixou o campo ovacionado pela torcida no Maracanã, Luan viveu o outro lado e se transformou em personagem negativo da tarde. Além de perder o pênalti que abriria o placar, o atacante desperdiçou mais uma grande oportunidade, ainda na etapa inicial. O América poderia ter ao menos empatado e até merecia. Mas, se não faltou empenho, os mineiros pecaram pela pontaria descalibrada.
Com 40 pontos, o América terminou o Brasileiro entre os quatro que caíram para a Série B. O Sport, que bateu o Santos em casa, passou os mineiros, mas também não se salvou da queda. O Leão da Ilha chegou aos 42 pontos, enquanto Vitória (37) e Paraná (23) completaram o grupo dos rebaixados.
O Coelho só dependia de seus esforços, se manteria na elite com vitória no Maracanã. Em caso de empate, o América teria que torcer por tropeço da Chapecoense, o que não ocorreu. Ao Fluminense, uma simples igualdade bastava para o alívio, que acabou vindo em forma de triunfo. Como prêmio, o Tricolor ainda ganhou vaga na Copa Sul-Americana, chegando a 45 pontos.
Campeão da Série B em 2017, o América viveu altos e baixos no Brasileiro. Começou bem, mas perdeu o ritmo justamente na reta final do campeonato, teve três trocas de treinador e terminou de forma melancólica, frustrando as expectativas iniciais. O Coelho terá que se reconstruir para retornar à Segunda Divisão e buscar novo acesso, no próximo ano.
Foto: Web
Foto: Web
O jogo
O primeiro tempo reservou emoções diversas para tricolores e americanos. As torcidas viveram minutos de entusiasmo e desespero. Os dois times começaram a partida com muito cuidado em não expôr aos contra-ataques. Tanto que os goleiros trabalharam muito pouco, ao menos nos 20min iniciais. Meio-campo congestionado e pouca penetração.
O América estava consicente, jogando com estratégia. Sem desespero. E teve a chance de abrir o placar e deixar a torcida do Flu ainda mais tensa no Maracanã. Aos 24min, Aderlan foi derrubado na área por Marlon, e o árbitro marcou pênalti. Na cobrança, aos 26, Luan bateu para defesa de Júlio César, no canto direto. No rebote, Rafael Moura ainda isolou. O público foi ao êxtase no Maracanã, gritando o nome do goleiro.
Júlio César e Luan foram os personagens do primeiro tempo. Um pelo lado positivo, outro pelo negativo. Logo depois do pênalti perdido, o América teve mais uma oportunidade de ouro. Novamente, a chance caiu nos pés de Luan. Ele recebeu passe de Rafael Moura, invadiu a área e tocou para defesa salvadora do goleiro. No rebote, a bola ia entrando e Gum se jogou para evitar o gol.
Enquanto a torcida gritava o nome de Júlio César o herói até então, o América lamentou mais uma chance que poderia representar vantagem importante. E o castigo veio no fim, aos 40. Marlon cobrou escanteio da esquerda, Richard se antecipou e desviou fora do alcance de João Ricardo: 1 a 0. Dessa vez foi o goleiro tricolor que agradeceu, comemorando de forma efusiva o gol do volante, que quebrou jejum de 802 minutos do time carioca sem balançar as redes.
Foto: Web
Foto: Web
Luta até o fim
A desvantagem não intimidou ou abalou o América, que voltou do intervalo com ímpeto de buscar a reação. Tanto que obrigou Júlio César a trabalhar de novo, em chute de Paulão que desviou e quase traiu o goleiro. Em seguida, Luan invadiu a área e concluiu prensado. Na sobra, Matheusinho errou o alvo. O Fluminense assustou com Richard, que acertou o travessão em mais uma cabeçada após escanteio.
O técnico Givanildo Oliveira tentou modificar o panorama ofensivo, trocando Marquinhos, desgastado, por Ademir. Depois, Lincoln substituiu o volante Zé Ricardo. Além da derrota, os resultados dos concorrentes não ajudaram o Coelho. A Chapecoense bateu o São Paulo em casa e se salvou. Um triste desfecho de temporada para o América, ainda que os problemas ao longo do campeonato tenham servido de alerta para o pior.
FLUMINENSE 1 X 0 AMÉRICA
FLUMINENSE
Júlio César; Igor Julião, Gum (Paulo Ricardo), Digão e Marlon; Airton (Dodi), Richard e Jadson; Marcos Júnior, Junior Dutra, Luciano e Kayke (Everaldo)
Técnico: Fábio Moreno
AMÉRICA
João Ricardo; Aderlan, Paulão, Matheus Ferraz e Carlinhos; Zé Ricardo (Lincoln), Juninho, Marquinhos (Ademir) e Matheusinho; Luan e Rafael Moura
Técnico: Givanildo Oliveira
Motivo: 38ª rodada do Campeonato Brasileiro
Local: Maracanã, no Rio de Janeiro
Data: domingo, 2 de dezembro
Árbitro: Rafael Traci (PR)
Assistentes: Ivan Carlos Bohn (PR) e Rafael Trombeta (PR)
Cartões amarelos: Gum, Everaldo, Marcos Júnior (FLU)
GOL: Richard, aos 40min do 1ºT
Da redação:superesportes

Deixe uma resposta