Arnaldo Martins Colunistas

O sonho que virou pesadelo

Reprodução
Reprodução

Trabalhar na Globo é um sonho ou pesadelo para quem aspira projeção na comunicação?

O sonho de todo jornalista é trabalhar na maior emissora do país, certo?

Errado!

A prova disso são alguns profissionais que, mesmo tendo acumulado anos de casa, resolveram abrir mão do cargo de prestígio e jogar tudo para o alto em busca de novos ares.

Após 34 anos de Rede Globo, Carla Vilhena, que atuava como repórter especial do “Fantástico” e como plantonista do “Jornal Nacional”, resolveu pedir demissão.

O jornalista Evaristo Costa estava na emissora desde 2004 e atuava como âncora do “Jornal Hoje”, mas optou por não renovar o contrato no ano passado.

Após 18 anos de casa, a jornalista Ana Paula Padrão, que já havia sido correspondente em Londres e Nova York e era âncora do “Jornal da Globo”, deixou a Globo em 2005.

Após ter apresentado “Jornal Hoje”, “SPTV” e “Bom Dia São Paulo”, Mariana Godoy se estabeleceu à frente do “Jornal das Dez”, que comandava há três anos. Mas resolveu largar tudo em 2014, deixando para trás 23 anos.

Depois de 18 anos de emissora e passagens pelo “Globo Esporte” e “Esporte Espetacular”, a jornalista Mylena Ciribelli resolveu ir para a Record para realizar um sonho.

O jornalista Paulo Henrique Amorim foi correspondente da emissora por quase oito anos em Nova York. Ao todo, de casa, foram 12 anos.

A jornalista Diana Garbin, esposa de Tiago Leifert, escreveu uma mensagem de agradecimento aos colegas para se despedir em 2016.

Rosana Jatobá permaneceu na emissora por 12 anos e atuou em programas como “SPTV”, “Jornal Hoje”, “Jornal Nacional”, “Globo Rural”, “Bom Dia Brasil” e “Jornal da Globo”, mas saiu da empresa em 2012.

Flávia Freire a ex-mulher de César Tralli resolveu dar adeus à emissora depois de 19 anos de casa.

Em fato mais recente, o afastamento de quase três meses da apresentadora Izabella Camargo, demitida da empresa, foi apenas o caso mais rumoroso de uma onda inédita de problemas de saúde relacionados ao trabalho que vem acometendo profissionais no dia a dia na Globo.

Os jornalistas atribuem os afastamentos e internações à pressão, insegurança e frustração no ambiente de trabalho.

Muitos não vêm perspectivas de crescimento profissional e têm medo do futuro da empresa e da profissão.

Então a minha pergunta: “Jornalista da Globo é um sonho ou pesadelo?”

Nessa oportunidade, eu que estou nesse jornal há mais de 23 anos, parabenizo Sete Lagoas pelos 151 anos em 24/11.

Parabéns!

Consultar Até a semana que vem se Deus quiser, e Ele há de querer.

Por Arnaldo Martins

Cebolinha

Barbara Dias

Barbara Dias

Jornalista com especialização em publicidade e marketing, coordenadora do Portal Sete, editora chefe do Jornal Hoje Cidade e assina o programa Tarde Viva na Rádio Eldorado AM 1300

COMENTAR

Clique aqui para enviar um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Eldorado1300

AGENDA

novembro 2019
D S T Q Q S S
« out    
 12
3456789
10111213141516
17181920212223
24252627282930

Publicidade

ARQUIVO GERAL

Alvaro Vilaça

Alvaro Vilaça

Jornalista, radialista, âncora do programa Tempo Esportivo na TV Sete Lagoas e diretor de programação da Rádio Eldorado AM1300

Barbara Dias

Barbara Dias

Jornalista com especialização em publicidade e marketing, coordenadora do Portal Sete, editora chefe do Jornal Hoje Cidade e assina o programa Tarde Viva na Rádio Eldorado AM 1300

SILVA JUNIOR

Silva Júnior

Silva Júnior

Silva Júnior - Jornalista, radialista, colunista e setorista do futebol sete-lagoano, assina ainda o programa Eldorado nos Esportes na Rádio Eldorado AM 1300

Cebolinha

Arnaldo Martins

Arnaldo Martins

Colunista do Hoje Cidade a mais de 20 anos, formado em Assistente de Administração de Empresas, funcionário público.