Destaques Policial Saúde

Hospital é condenado a pagar multa de R$ 200 mil a mãe que perdeu bebê em parto

Maternidade da região Norte de BH é referência em assistência humanizada e a gestantes de alto risco
Maternidade da região Norte de BH é referência em assistência humanizada e a gestantes de alto risco

Uma mãe de Betim, na Região Metropolitana de Belo Horizonte, ganhou na Justiça o direito de ser indenizada pela morte do filho por uma suposta negligência no parto, realizado no Hospital Sofia Feldman. A instituição foi condenada, em segunda instância, a pagar R$ 200 mil por, segundo dados do processo, induzir um parto normal quando a indicação era de cesariana.

A mulher contou à Justiça que, durante a gravidez, foi acompanha e submetida a vários exames e consultas que indicavam que o parto deveria acontecer por meio de cesariana na Maternidade Pública de Betim. No dia do parto, entretanto, a maternidade não tinha leitos disponíveis e encaminhou a gestante ao Hospital Sofia Feldman.

Já na instituição, a mulher afirma ter esperado seis horas para o atendimento e ficado 12 horas em trabalho de parto, sendo induzida ao parto natural por um enfermeiro, que, de acordo com a Justiça, não é o adequado para o ato. Somente após várias tentativas frustradas, a parturiente foi levada a um médico, que indicou a cesariana imediatamente.

O bebê nasceu e foi logo levado à Unidade de Tratamento Intensivo da instituição, mas faleceu um dia após o parto devido ao intenso sofrimento fetal a que foi submetido.

Embate judicial

A mãe entrou na Justiça alegando que eram evidentes os diversos sofrimentos aos quais ela teria sido submetida no parto, entre lesões materiais, psicológicas, morais e físicas. A indenização foi pedida para ressarcir danos morais decorrentes da morte sem estabelecer um valor e cerca de R$ 60 mil pelos danos materiais.

Em sua defesa, a instituição argumentou que a conduta adotada em relação à mulher foi correta do ponto de vista técnico e baseada nas melhores evidências científicas. Sustentou que as complicações apresentadas pelo recém-nascido foram decorrentes de deterioração aguda da condição fetal e que as intervenções para alterar o quadro foram empreendidas rapidamente, mas não foram suficientes para evitar as sequelas no bebê.

Em primeira instância, o pedido foi julgado improcedente, mas a mãe recorreu e o hospital não se defendeu. O desembargador Evandro Lopes da Costa, então, condenou o hospital ao pagamento de danos morais por considerar veementes os relatos dos fatos e patente o erro do profissional que atendeu a mulher. A indenização por danos materiais, entretanto, foi negada.

Procurado pelo, o Hospital Sofia Feldman ainda não se pronunciou sobre a condenação.

Barbara Dias

Barbara Dias

Jornalista com especialização em publicidade e marketing, coordenadora do Portal Sete, editora chefe do Jornal Hoje Cidade e asinsa o programa Tarde Viva na Rádio Eldorado AM 1300

COMENTAR

Clique aqui para enviar um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Eldorado1300

AGENDA

junho 2019
D S T Q Q S S
« maio    
 1
2345678
9101112131415
16171819202122
23242526272829
30  

Publicidade

ARQUIVO GERAL

Alvaro Vilaça

Alvaro Vilaça

Jornalista, radialista, âncora do programa Tempo Esportivo na TV Sete Lagoas e diretor de programação da Rádio Eldorado AM1300

Barbara Dias

Barbara Dias

Jornalista com especialização em publicidade e marketing, coordenadora do Portal Sete, editora chefe do Jornal Hoje Cidade e asinsa o programa Tarde Viva na Rádio Eldorado AM 1300

SILVA JUNIOR

Silva Júnior

Silva Júnior

Silva Júnior - Jornalista, radialista, colunista e setorista do futebol sete-lagoano, assina ainda o programa Eldorado nos Esportes na Rádio Eldorado AM 1300

Cebolinha

Arnaldo Martins

Arnaldo Martins

Colunista do Hoje Cidade a mais de 20 anos, formado em Assistente de Administração de Empresas, funcionário público.