Galo reclama de ‘ilegalidade’, diz que inicialmente venderá só 460 ingressos e provoca Cruzeiro

0
89
Foto: Web

Em nota publicada no site oficial, Atlético diz que arquirrival descumpriu o regulamento ao fixar valores abusivos e superiores para a sua torcida

Em nota divulgada na tarde desta quinta-feira, o Atlético criticou o Cruzeiro sobre a política da venda de ingressos para o clássico deste domingo, às 16h, no Mineirão, pela 25ª rodada do Campeonato Brasileior. O Alvinegro diz que, inicialmente, vai vender apenas 460 bilhetes, comprados junto à Minas Arena, administradora do estádio. Sobre a carga de 10% das entradas, que é direito dos visitantes, o clube afirma que o arquirrival se recusou a apresentar os dados bancários e a cumprir os demais dispositivos regulamentares e, por isso, informou que ‘já encaminhou as medidas legais cabíveis e aguarda a comunicação das respectivas autoridades o mais breve possível’.

De acordo com a nota, o Atlético vai esperar uma decisão da ‘autoridade desportiva’ para saber se poderá vender a carga de ingressos disponibilizada pelo Cruzeiro. O clube celeste liberou ao Alvinegro 5.900 bilhetes para o clássico.

“O clube mandante do clássico se recusou, injustificadamente, a apresentar os dados bancários e a cumprir os demais dispositivos regulamentares acerca do direito do clube visitante ao percentual de 10% dos ingressos. Por excesso de zelo, o Atlético providenciou, antecipadamente, a compra de todos os ingressos disponibilizados pela Minas Arena, no setor visitante, totalizando 460 ingressos. Esses ingressos serão comercializados pela internet, para sócios, provavelmente nesta sexta-feira (14/9). Considerando a série de ilegalidades praticadas pelo Cruzeiro, o Atlético já encaminhou as medidas legais cabíveis e aguarda a comunicação das respectivas autoridades o mais breve possível”, lê-le na nota do Atlético.

Procurado pelo Superesportes, o Cruzeiro, por meio da assessoria de comunicação, informou que o posicionamento do clube foi inteiramente publicizado durante a reunião do clássico, realizada na manhã desta quinta-feira, na sede da Federação Mineira de Futebol (FMF). No documento, a diretoria celeste “informa que a entrega dos ingressos para a torcida visitante está condicionada à comprovação do efetivo pagamento desses ingressos. Em razão da necessidade de confecção dos ingressos, será necessário o prazo mínimo de 24 horas a contar do pagamento para retirada dos mesmos. Os dados bancários serão comunicados por meio de ofício, que será remetido à equipe visitante”.

Ainda de acordo a ata, o Cruzeiro defende que “não obstante o pífio argumento lançado pela equipe visitante, apenas esclarece que não há qualquer irregularidade ou ilegalidade nas determinações existentes nos regulamentos das competições e na legislação atinente à matéria, sobretudo porque, especificamente em relação aos ingressos, se tivesse a equipe visitante bom senso, caberia a ele pedir com maior antecedência a carga de ingresso, sobretudo pelas polêmicas anteriores, conforme entendimento já ratificado do STJD em processo recentemente julgado pelo referido tribunal, que não obstante às alevosias necessárias da equipe visitante, cumprirá a tempo e modo a sua obrigação legal de fornecimento de ingressos que todavia depende de confecção, operação, logística e o imprescindível pagamento antecipado dos referidos ingressos”, lê-se.

A diretoria atleticana também não ficou satisfeita com os preços praticados pelos dirigentes celestes. Os ingressos custam R$240,00 (R$120,00 meia) e R$150,00 (R$75,00 meia).

Na ata da reunião do clássico, a diretoria alvinegra reclama ainda sobre a disponibilização de ‘apenas um camarote’ no Mineirão. “O Atlético considera que o fornecimento de apenas um camarote constitui violação ao que foi acertado pelos clubes e praticado na primeira partida no turno”, lê-se.

Também na ata, o Cruzeiro se defende: “Quanto ao camarote, o Cruzeiro cumpre além do que o Regulamento obriga, não havendo qualquer fundamento na reclamação da equipe visitante”.

Provocação

No final da nota, o Atlético ainda provocou o Cruzeiro: “O Atlético aplaude mais uma vez a sua torcida, pelos tremores que sua presença causa”, em referência a um cântigo da torcida alvinegra.

Leia a nota divulgada pelo Atlético:

Acerca da reunião realizada nesta quinta-feira (13/9), na Federação Mineira de Futebol, sobre o clássico de domingo (16/9), no Mineirão, pela 25ª rodada do Campeonato Brasileiro, o Atlético esclarece que:
 
1 – Na quarta-feira (12/9), formalizou ofício ao clube mandante da partida, com cópias para a CBF, FMF e STJD, no sentido de exercer o direito de aquisição da carga de 10% do total da capacidade do estádio, para a sua torcida, conforme previsto no Artigo 86 do RGC.
 
2 – O clube mandante do clássico se recusou, injustificadamente, a apresentar os dados bancários e a cumprir os demais dispositivos regulamentares acerca do direito do clube visitante ao percentual de 10% dos ingressos.
 
3 – Igualmente, o mandante descumpriu o regulamento ao fixar valores abusivos e superiores para a torcida do Atlético, o que não vamos tolerar.
 
4 – Por excesso de zelo, o Atlético providenciou, antecipadamente, a compra de todos os ingressos disponibilizados pela Minas Arena, no setor visitante, totalizando 460 ingressos. Esses ingressos serão comercializados pela internet, para sócios, provavelmente nesta sexta-feira (14/9).
 
5 – Considerando a série de ilegalidades praticadas pelo Cruzeiro, o Atlético já encaminhou as medidas legais cabíveis e aguarda a comunicação das respectivas autoridades o mais breve possível. Em razão dessa dependência da decisão da autoridade desportiva, o Atlético informará, assim que possível, se haverá ou não venda desses ingressos pendentes de decisão, bem como as demais condições dessa venda, como datas, locais e valores.
 
6 – Por fim, o Atlético aplaude mais uma vez a sua torcida, pelos tremores que sua presença causa.
 
CLUBE ATLÉTICO MINEIRO
Da redação:superesportes

Deixe uma resposta