Destaques Jornal

ACOMPANHE A ENTREVISTA DO CANDIDATO ELSON COPAFER NA RÁDIO ELDORADO

portal-sete-elson-copafer-na-radio-eldorado
O candidato Elson Copafer foi o último partícipe do ciclo de entrevistas da emissora - Foto Fabricio Kelvim

 

O candidato do partido PPL (Partido Pátria Livre), Elson Copafer encerra o ciclo de entrevistas entre os eleitoráveis, transmitida pela Rádio Eldorado AM1300.

Valium Online Europe 1) Saúde

RE: Candidato, sendo eleito o senhor assegura a continuidade dos elementos da saúde funcionando (UPA, HM, ESF’s)? Como garantir para a população? Como podem ser melhoradas as condições para fornecimento de medicamentos nas farmácias e hospitais públicos?

EC: Como empresário que sou, acho que quando as coisas não vão bem, deve se procurar realmente onde está falhando, qual a falta que está tendo para que as coisas não andem bem. Eu vejo que a saúde de Sete Lagoas está atravessando um caos. Eu esses dias estive no Hospital Nossa Senhora das Graças e vi o quanto o Hospital está debilitado. Aí você parte para uma UPA. Na UPA você chega por volta das 14h e sai depois da meia noite. Isso é inadmissível. Muitas das vezes o profissional da saúde que está ali para atende-lo, simplesmente passa uma receita e o manda embora, só que ele não tem como ir embora naquele horário, por que não tem condução a essa hora da noite. Então ele se vê obrigado a dormir num banco da UPA para esperar o dia amanhecer e ir embora. Para que todas as coisas andem bem, não só ao nível de saúde, como também a nível empresarial é você valorizar seu funcionário. E hoje eu vejo o profissional da área de saúde muito mal valorizado e quando você valoriza uma equipe, essa equipe passa a produzir melhor. Agora, eu vejo hoje as partes de postos de saúde, UPA, Hospital Municipal em si, todas as vezes que você passa por essas entidades elas estão sobrecarregadas. Antes do paciente ir até a UPA, antes de ir até o Hospital, deveria se fazer um trabalho, igual eu faço há mais de 9 ano. Hoje eu tenho uma clínica móvel em parceria com a Igreja Adventista, que faz um trabalho nas periferias. Eu acho que deveriam fazer um trabalho preventivo, para que as pessoas não precisassem ir até a UPA. Cortando o mal pela raiz, você acaba não deixando ele seguir em frente, então quando você não deixa o problema seguir em frente, detecta um problema antes dele crescer, você acaba economizando com isso. Então volto a dizer: condições para tocar isso aí tem sim, o dinheiro da saúde ele vem.

RE: Candidato, o Hospital Regional é um sonho de toda a população, não só de Sete Lagoas. Há meses as obras estão num ritmo bem lento, sem previsão de término. Caso termine existe a equipação e manutenção do mesmo. Como terminar a obra? Com o veto da capital de receber municípios do interior, Sete Lagoas também adotaria tal conduta similar?

EC: Com certeza, eu acho que o Hospital Regional hoje ele é um anseio da população de Sete Lagoas, não só de Sete Lagoas como de toda a região, haja visto que nós temos vários municípios que utilizam o Hospital Municipal. Acaba sufocando aquela entidade ali. E esse anseio de se concluir essas obras do regional, isso é um anseio de todos nós. Agora falar para você, que se eleito for eu vou conseguir concluir esse hospital no meu mandato, é uma coisa até difícil, por que eu dependo do Estado. Aquilo ali é o Estado que está fazendo, com participação do município, mas não adianta eu só me preocupar com o Regional, eu tenho que me preocupar com os que estão aí. Eu tenho que fazer bem feito para os que estão ai, por que as pessoas não têm muito tempo para esperar um Hospital Regional ficar pronto. O que está aí é o que está nos dando socorro no momento. Eu preciso sim, terminar o Hospital Regional, mas com prioridade para os que estão aí.

http://ewoltech.it/en/barche-en/show-38/ 2) Educação

RE: Candidato, a educação sete-lagoana vive no limite de gastos do orçamento. Vários servidores da pasta convivem com muitas vezes falta de materiais de trabalho, além de condições como o tão sonhado plano de cargos e salários para a valorização do profissional. Qual sua visão sobre essa pasta tão importante?

EC: É uma pasta importantíssima, é uma pasta que a gente está vendo os nossos professores não sendo valorizados. Isso vai desmotivando o profissional dessa classe. Um professor que é agredido dentro da sala de aula e simplesmente não acontece nada. A gente tem que começa a valorizar melhor esse profissional, que é o profissional que vai colocar nosso filhos no futuro, eles nos colocaram e vai colocar nosso filhos também. O país, ele depende muito desse profissional. Eu vejo que não tem uma adequação salarial, os professores estão aí à mercê de baixos salários. Esse professores precisam ser valorizados para que eles possam entrar numa sala de aula e dar aula com amor, com carinho. Muitas pessoas da nossa era ficaram analfabetos, então porque não valorizar o professor, por que não dar atenção especial a eles? Hoje os professores são condenados por não cometerem crime algum. As vezes são condenados, por chamar a atenção de um aluno. Muitas vezes, tanto o professor, quanto o profissional da área da saúde, fazem por que gostam, por que não são valorizados. Vamos tratar melhor essas escolas nossas. Vamos tratar melhor nossos professores, por que a partir do momento que tratarmos bem esses profissionais, as coisas vão andar melhor.

RE: Candidato, atrelada à pergunta anterior, caso sua futura gestão, caso eleito for, alcance tais níveis escalonados na estrutura e na valorização do servidor educacional, o eleitor poderá contar com concursos que preencherão vagas nas unidades do município e serem realmente convocados caso aprovados?

EC: Isso aí é um projeto meu, por que eu sempre comentei com relação a concurso, muitas das vezes se faz concurso para arrecadar dinheiro, as vezes é feito aquele concurso só para dizer que foi feito. Tem pessoas aposentando, é preciso preencher aquela vaga e a partir do momento que eu fizer um concurso, tenha certeza que é para preencher aquela área. E se passar, vai ser chamado sim. Eu não quero que a população tenha essa interrogação na cabeça, u quero me comprometer com a população o seguinte: se tais concursos forem realizados é por que o município está necessitando daquele profissional, e se passar ele vai ser chamado sim. 

Valium Order Overnight Delivery 3) Cultura

RE: Candidato, várias vertentes da cultura clamam por mais valorização na área, como a promoção de eventos e um calendário fixo em todas as manifestações. Caso eleito, como o senhor garantiria recursos para atender viva a cultura sete-lagoana, ora muito diversificada e tradicional?

EC: A cultura de Sete Lagoas muita das vezes ela fica aquém, a gente vê aí, muitos congadeiros, muitas pastorinhas à mercê de si mesmo. E a gente observa que a cada dia que passa essa cultura, ela vai ficando para trás, ela vai acabando e a gente observa que essa cultura, ela tem que ser resgatada. A cada dia que passa ela vai achatando e a cultura são coisas que não podem ser acabadas. O nosso país é um país de culturas diversificadas, de várias etnias, de várias raças e a gente vê o poder público muitas vezes não valorizando isso aí. Tem dinheiro para a cultura? Tem sim, e tem que gastar com a cultura, e ele tem que ser preservada.

RE: Candidato, além de um calendário, os integrantes pedem mais espaços para manifestarem suas ideologias. Os que existem ou precisam ser assistidos de reformas, ampliações ou até mesmo a criação de novas áreas. Conquistando em 2 de outubro as urnas, como reunir esforços para contemplar a nossa cultura?

EC: É o que eu volto a dizer, recursos para a Cultura, tem. Verbas para a Cultura, ela vem. É preciso que essas verbas sejam realmente gastas com a Cultura. Nós temos aí, ginásios que podem ser utilizados. Temos praças públicas que podem ser utilizadas. A Cultura é importante sim e o que eu acho é que falta apoio, falta alguém que trabalhe por essa área, e quero ter alguém que faça com que isso não morra. Cultura e Turismos trazem engrandecimento para a cidade, para a área de hotelaria, para a restaurantes. Pode ter certeza que uma das coisas que irei tentar, estarei buscando apoio é para não deixar a Cultura morrer.   

Cheapest Valium Online Buy 4) Esportes e lazer

RE: Candidato, tivemos nas Olimpíadas um leque de esportes que, além do futebol, encheram os olhos de orgulho os brasileiros conquistando várias medalhas, além de brilhantes resultados. O futebol, todos nós sabemos que é o nosso cartaz para o mundo, mas as demais modalidades não poderão ser esquecidas. Como incentivar nossos jovens em se praticar alguma modalidade esportiva com a prefeitura participando ativamente desse processo?

EC: a gente tem vários espaços aqui, temos um espaço maravilhoso que é o Parque Náutico da Boa Vista, onde se pratica vários esportes, então é um local onde podemos trabalhar trazendo um profissional que possa ser um dirigente, que venha fazer as coisas acontecer. Vou procurar um profissional que tenha autonomia que possa fazer bem feito e a partir do memento que fizermos um trabalho bacana na área esportiva, poderemos ter um poder imenso de tirar as crianças das ruas. Mas em primeiro lugar, é preciso ter um profissional, é preciso dar autonomia para ele, e nós vamos fazer.

RE: Candidato, além dos programas existentes como o Mexa-se, você pensa em outros para levar uma melhor qualidade de vida ao nosso povo?

EC: o Mexa-se é um programa muito bacana que ocorreu em nossa cidade, então eu acho que melhorar o que está sendo bem feito tem uma importância muito grande. Tem locais que foram reivindicadas as academias do Mexa-se e não foram atendidos. Então nós vamos colocar o Mexa-se nesses bairro também, vamos dar o mesmo valor para esses que outros bairros têm. Eu acho que o Mexa-se foi uma coisa muito importante para Sete Lagoas, mas eu acho que pode ser melhorado, e nós vamos melhorar isso daí. Se a gente não tiver carinho com isso aí, as coisas acabam no esquecimento e com certeza a gente vai fazer com que ele se perdure por muitos anos. 

Order Valium From Mexico 5) Trânsito

RE: Candidato, muitos motoristas criticam principalmente a mobilidade na região central da cidade. Muitos semáforos deveriam receber um novo estudo de sincronismo. Muitos flanelinhas assustam quem usa do estacionamento externo. Faltam vagas de estacionamento no geral além de vagas específicas para farmacêuticos e pessoas com deficiência física. No seu plano de governo consta uma provável equipe de especialistas para resolver tal impasse?

EC: Com certeza, já tem conversado com pessoas de lato nível e realmente conhecedores dessa área. Olha por exemplo as nossas faixas de pedestres de Sete Lagoas, parece cal, cai uma chuva e apaga tudo. Isso não existe mais. Olha outras cidades, é feito com camadas emborrachadas, é mais caro, mas é algo que dura. É preferível que se gaste um pouco mais, mas que se faça uma coisa bacana, que dure. A gente fica à mercê de obras que não são duráveis. Com relação aos semáforos, olha alí próximo à rodoviária, podia ser tudo sincronizado, você sai de um, outro já está aberto, você não pega engarrafamento no trânsito, ou seja, coisas simples que fazem a diferença. Eu sempre pensei no futuro a gente quando pensa à frente, a gente traz benefícios para a população. São coisas que precisam ser mudadas, precisam ser feitas. Tem que ser feito um estudo bacana. E eu tenho certeza que a gente fará bem feito sim.

RE: Candidato, ouvintes diariamente nos procuram cobrando quebra-molas e radares até mesmo nos bairros, pois a imprudência de motociclistas e motoristas já causaram vários danos, mas na maioria das vezes não são atendidos, muito menos respondidos. Em sua gestão caso eleito o senhor entende que este clamor poderá salvar muitas vidas, além de proteger o patrimônio de muitos que trafegam pelas ruas e avenidas da cidade?

EC: Com certeza, eu acho que tem locais na cidade que tem que ser feitos esse trabalho. Encheram nossa cidade de radar, para mim, tem locais que não têm necessidade de radar, acho que esses radares vieram a título de multa. Nós tínhamos em Sete Lagoas três problemas sérios de onde tiveram vários acidentes com vítima fatal. Eu cito aí aponte do Náutico. Cito aquela curva que tem ao fundo do Mangabeiras, o que fizeram, colocaram quebra molas e resolveu o problema. Tem locais que realmente necessita de quebra-molas sim, muitas das vezes, eu prefiro o quebra-molas que ficar entupindo a cidade de radares. Sete Lagoas criou-se uma forma de arrecadação, que são esses radares. Colocando em determinados pontos, quebra-molas, acho que iremos resolver a situação.

Buy Valium Sleeping Tablets 6) Transporte público

RE: Candidato, temos na estação de transbordo um direcionamento dos usuários das duas empresas de transporte coletivo da cidade para tal local, mas é notório que a mesma precisa de muitas melhorias, como por exemplo cobertura, mais banheiros, postos policiais e quadro de horários e itinerário. É possível caso eleito alcançar tal conquista para o nosso povo?

EC: Não só alcançar como vou lutar muito por isso aí. Aquilo ali foi uma obra que foi feita corrida, e não ficou bem feita. Para mim, aquela situação ali dá para se transformar em uma área muito bacana. Aquela cobertura ali não requer um preço tão alto para a Prefeitura não. As pessoas que moram nos bairros da periferia, dependem daquilo ali. Aquelas guaritas ali têm que ser arrancadas. Com certeza irei melhorar aquilo ali, por que ali, trafegam pessoas trabalhador, humildes então vamos dar valor a eles sim, vamos dar valor a quem merece. Com certeza a gente vai fazer.

RE: Candidato, o quadro de horários e o itinerário das duas empresas licenciadas para operar em Sete Lagoas não é tão acessível para os usuários. Os pontos de ônibus em toda a cidade em sua maioria não tem um espaço reservado, como bancos, cobertura e até mesmo uma placa de identificação. Como exigir das concessionárias e também como seria a participação da prefeitura para adequação dessas conquistas?

EC: Tem coisas que a gente fica observando. Há muitos anos que eu não ando dentro de um coletivo em Sete Lagoas, por que a vida da gente é muito corrida, mas eu vejo que esse pessoal que tem a concessão, eles não ganham mal não. Então eu acho que toda concessionária que participa de uma licitação teria que ser dito o seguinte: Você vai ganhar, mas isso aqui vai ser exigido para vocês. Toda parada de ônibus tem que ter cobertura, mas isso não é a prefeitura não, é a concessionária. No meu governo, eu vou rever essas licitações, como foi feita. Será que vai ser sempre a mesma empresa? Agora, a partir do momento que começar a exigir, as coisas mudam. Tem que colocar guaritas em todas as paradas de ônibus, ou de tantos em tantos metros, se não fica só ganhando, e a população só pagando uma passagem que acho muito alta. Entra ano e sai ano, nunca se foi cobrado isso aí. A partir do momento que começarem a cobrar isso aí das licitações, as coisas vão começar a acontecer.

http://ewoltech.it/wp-cron.php?doing_wp_cron=1575061441.5425069332122802734375 7) Geração de empregos

RE: Candidato, todos sabem da recessão por qual passa o nosso país. Se tratando de Sete Lagoas, o que o candidato fará para rever este quadro?

EC: Essa recessão ela está no país inteiro, acredito muito que esse país agora, com a definição do presidente ele vai voltar a andar e esse dinheiro, ele não sumiu não, ele vai volta a aparecer. Com essa queda das indústrias auto-mobilisticas, da indústria de autopeças que aqui estão, Sete Lagoas desceu bastante e precisa se tomar uma providência muito enérgica, providência esta que possa trazer outros tipos de investimentos para Sete Lagoas. Vejo como exemplo Nova Serrana, tem seus problemas? Tem sim. Mas é uma cidade que viveu há muito tempo de siderurgia, e hoje passo para o ramo dos calçados, e deu certo. Acho que para a gente começar a trazer fonte de renda, para sair desse caos, a gente tem que começar a pensar nisso ai também, começar a trazer outros ramos pra Sete Lagoas. A arrecadação começa a aumentar, e quando a cidade começa arrecadar mais, as coisas começam a acontecer. Nossa cidade vai sair desse caos. A saúde passa ter uma atenção melhor, a segurança passa a ter uma atenção melhor, a educação. Eu não posso pensar só a nível Brasil. Não podemos cruzar os braços, temo que copiar o que deu certo e fazer a coisa acontecer aqui.

RE: Candidato, grande parte dos trabalhadores da nossa cidade estão ansiosos aguardando uma oportunidade de trabalho. Sabendo que esta situação não é exclusiva de Sete Lagoas, como o senhor candidato, caso eleito, pensa em amenizar esse duro quadro, superar tais dificuldades? O senhor considera possível a vinda de organizações do exterior, já que o mercado interno não consegue absorver a demanda de mão de obra?

EC: Trazer do exterior, para mim é a longo prazo. Nossa situação é urgente, nós não podemos ficar esperando a China se apossar de Sete Lagoas não, nós temos atividades aí que podem mudar esse quadro de Sete Lagoas, trazer a indústria calçadista para cá, ir a Divinópolis trazer um empresário do ramo têxtil pra cá. Não podemos esperar não. Nós precisamos fazer a coisa acontecer rápido. O pai desempreqado, não pode esperar não. Vamos mostrar nossa cidade em termo de hotelaria, em termo de restaurantes, nós temos que fazer a coisa acontecer, e há muitos anos não estamos vendo nada acontecer.

Com as propostas do candidato Elson Copafer, a Rádio Eldorado encerrou o ciclo de entrevistas aos eleitoráveis, e se preara para a realização do debate, que acontecerá no próximo dia 13 de setembro, às 20h, no auditório das faculdades Promove de Sete Lagoas. Mais detalhes na página 09.

portal-sete-debate-prefeito-2016
Divulgação

Transcrito por Barbara Dias

Barbara Dias

Barbara Dias

Jornalista com especialização em publicidade e marketing, coordenadora do Portal Sete, editora chefe do Jornal Hoje Cidade e assina o programa Tarde Viva na Rádio Eldorado AM 1300

COMENTAR

Clique aqui para enviar um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Eldorado1300

AGENDA

dezembro 2019
D S T Q Q S S
« nov    
1234567
891011121314
15161718192021
22232425262728
293031  

Publicidade

ARQUIVO GERAL

Alvaro Vilaça

Alvaro Vilaça

Jornalista, radialista, âncora do programa Tempo Esportivo na TV Sete Lagoas e diretor de programação da Rádio Eldorado AM1300

Barbara Dias

Barbara Dias

Jornalista com especialização em publicidade e marketing, coordenadora do Portal Sete, editora chefe do Jornal Hoje Cidade e assina o programa Tarde Viva na Rádio Eldorado AM 1300

SILVA JUNIOR

Silva Júnior

Silva Júnior

Silva Júnior - Jornalista, radialista, colunista e setorista do futebol sete-lagoano, assina ainda o programa Eldorado nos Esportes na Rádio Eldorado AM 1300

Cebolinha

Arnaldo Martins

Arnaldo Martins

Colunista do Hoje Cidade a mais de 20 anos, formado em Assistente de Administração de Empresas, funcionário público.