Frucam divulga carta de repúdio de homicídio envolvendo “Pai de Santo”

0
1450

Acontecimentos que envolveram o nome de um zelador de casa de religião de matriz africana, espantaraam a sociedade sete-lagoana, além de respingar boatos maldosos direcionados à seguidores da Umbanda e do Candomblé, deixando-os indignados. Após a prisão do líder religioso, acusado de ser suspeito de homicídio e ocultação de cadáver, a FRUCAM (Federação de Cunho Religioso e Cultural das Casaqs de Umbanda de Sete Lagoas), emitiram uma carta de repúdio ao ato criminoso, esclarecendo ainda os valores das casas afiliadas à federação.

Nota

“Federação de Cunho Religioso e Cultural das Casas de Umbanda e Candomblé de Sete Lagoas Sete Lagoas, 12 de abril de 2018 A FRUCAM – Federação de Cunho Religioso e Cultural das Casa de Umbanda e Candomblé de Sete Lagoas, vem a público através deste documento/manifesto, se posicionar, esclarecer sobre os últimos acontecimentos a cerca da prisão de um “Pai de santo”, acusado de assassinato. Que nunca compactuamos, aceitamos e fazemos parte desse tipo de ato covarde e tenebroso. E jamais compartilharemos ou defenderemos quem os cometer. A FRUCAM, tem por finalidade lutar por aqueles que tem por objetivo manter viva as tradições religiosas de matriz africana, bem como semear o amor, paz e o respeito entre todos seres do universo. Divulgando e esclarecendo aos que não se fazem entendedores de nossas liturgias e manifestações divinas, onde buscamos a essência das nossa divindades, fazendo com que elas se transformem em energias positivas e que se espalhem a todos os lugares onde existam seres que emanam do amor. Além disso a Federação tem por fim disciplinar ritos e cerimonias litúrgicas, dentro de um principio espiritual de tolerância e compreensão e sua aplicação em nossa cidade, onde se desenvolvem atividades inerentes às religiões de matrizes africanas. Segundo consta nas publicações da mídia acerca do fato mencionado acima, o crime se refere a um ato isolado e passional, não tendo relação alguma com ritos e ou manifestações religiosas ligadas à Umbanda e ao Candomblé. Neste sentido, vimos comunicar que todas as casas ligadas à FRUCAM buscam defender a verdade como a única maneira de combater a intolerância e toda a distinção, exclusão e ou preconceito inerentes ao acontecimento. Ressaltamos ainda que a casa do “Pai de Santo” envolvido no crime não está ligada à Federação e não compactua cm os objetivos da mesma. As religiões de matrizes africanas tem como prática a aceitação do outro no sentido de acolher e cuidar, manter e preservar as tradições e a espiritualidade. Uma religião seja ela qual for, não faz apologia a maldade em seus ensinamentos religiosos ancestrais. Apenas pregam a união do homem a seu melhor exemplo de perfeição, refletindo na transcendência espiritual trazido pelos nossos irmãos da África”.

Rilney Anderson Ribeiro Presidente FRUCAM/ Sete Lagoas

Da Redação

Deixe uma resposta