Bispo mineiro é preso em operação que investiga desvio de cerca de R$ 2 milhões

0
419
Reprodução

O Ministério Público (MP) de Goiás deflagrou, na manhã desta segunda-feira, a Operação Caifás, que investiga desvios de cerca de R$ 2 milhões por membros da administração central da diocese de Formosa e de paróquias associadas. Por determinação do MP, policiais civis cumprem 13 mandados de prisão e 10 de busca e apreensão nos municípios de Formosa, Posse e Planaltina, em residências, dependências da diocese e em um mosteiro.

Entre os presos estão o bispo de Formosa, José Ronaldo Ribeiro, quatro padres e um monsenhor. Ribeiro é mineiro de Uberaba e, antes de Formosa, foi bispo de Janaúba, onde também esteve envolvido em denúncias de irregularidades na movimentação de recursos da igreja.

Os valores desviados pela cúria são provenientes de dízimos, doações e taxas pagas pelos fiéis para cobrir batismos, casamentos e cerimônias afins. Segundo o MP, com o avanço das apurações, é muito provável que a quantia subtraída pelo grupo criminoso supere a estimativa informada pela assessoria de imprensa do órgão. O número preciso deve ser conhecido dentro de uma semana, quando o processo será protocolado.

O MP passou a averiguar os fatos após fiéis comunicarem aos promotores a suspeita de desfalques que teriam sido iniciados em 2015.

A operação é coordenada pelos promotores de Justiça Fernanda Balbinot e Douglas Chegury e conta com a atuação de integrantes do Centro de Inteligência e do Gabinete de Segurança Institucional do MP, do Grupo de Atuação Especial de Combate ao Crime Organizado (Gaeco) do Entorno do Distrito Federal e, ainda, da Polícia Militar.

O nome da operação é uma alusão a Joseph Caiaphas que, de acordo com a Bíblia, foi o sumo sacerdote que entregou Jesus a Pôncio Pilatos.

A Agência Brasil procurou a Diocese de Formosa, mas não obteve retorno.

Da Redação, com site Rádio Itatiaia

Deixe uma resposta