Saúde Super Destaques

Minas começa a aplicar 3ª dose contra Covid, mas 1,2 milhão de pessoas não voltaram para a 2ª

ALERTA - Especialistas lembram que sem 2ª dose da vacina contra a Covid-19 as pessoas não ficam completamente imunizadas

Mais de 1,2 milhão de pessoas que receberam a primeira dose da vacina contra a Covid-19 em Minas ainda não retornaram aos postos para completar o esquema vacinal. Em BH, são ao menos 37 mil. Na contramão daqueles em atraso, há quem já comece a receber a terceira dose. Na capital, 13 mil pessoas de 86 a 88 anos serão contempladas a partir de hoje.

Com resposta imu-nológica mais baixa em relação à vacina, os idosos são considerados mais vulneráveis e, com isso, serão os primeiros a receber a dose de reforço em BH. Inicialmente, serão imunizados aqueles que tomaram a segunda aplicação da CoronaVac há mais de seis meses. Para o grupo, seguindo orientações do Ministério da Saúde, a imunidade será reforçada com a Pfizer.

Posteriormente, serão vacinadas as pessoas de 70 anos ou mais e imunossuprimidos. Para o infectologista e integrante do Comitê de Enfrentamento à Covid na capital Carlos Starling, a terceira dose é considerada “absolutamente fundamental”, já que os idosos e aqueles com doenças autoimunes tendem a ter imunidade mais baixa.

“A terceira dose vai melhorar o padrão de cobertura desse grupo e reduzir o risco de acontecer o que vimos anteriormente, com aumento de internações e ocupação da terapia intensiva próxima ao colapso”, disse o médico. Ele considerou ainda que a aplicação do reforço vai ajudar a “consolidar os bons resultados que estamos vendo a partir da vacinação”.

Todas as pessoas devem receber o reforço em Minas. Também por isso, o infectologista reforça a importância de garantir as duas primeiras doses da vacina como forma de imunidade contra a doença.

“Temos que privilegiar aqueles que querem ser vacinados e que precisam ser vacinados. Os demais, eu acho que o tempo vai mostrar que precisam tomar a dose. As pessoas vão sendo levadas a isso, porque, senão, perdem oportunidades diversas, além de não pegar Covid, que é o principal objetivo”, concluiu.

Em Belo Horizonte, 25 mil pessoas ainda não tomaram a segunda dose da CoronaVac e outros 12 mil não retornaram aos postos para o reforço da AstraZeneca. Estes números, porém, pode ser ainda maior, já que as pessoas vacinadas com a Pfizer foram convocadas para o reforço recentemente e, por isso, é necessário aguardar a análise da cobertura vacinal.

Já em relação aos dados divulgados pelo Estado, são 276.603 pessoas em atraso na aplicação da CoronaVac, 907.813 da Astrazeneca e 67.235 da Pfizer.

Em BH, a terceira dose começa a ser administrada nestas quinta e sexta-feira (10). A aplicação do reforço em pessoas acamadas também será iniciada. Para isso, é necessário que o público aguarde o contato das equipes da Secretaria Municipal de Saúde para agendamento do horário.

Os demais idosos da mesma faixa etária que receberam a AstraZeneca não devem comparecer aos locais de vacinação, já que é preciso aguardar o intervalo de seis meses. Por essa mesma razão, as pessoas com 89 anos ou mais ainda não foram convocadas.

 

Fonte: Hoje em Dia

Eldorado1300

AGENDA

outubro 2021
D S T Q Q S S
 12
3456789
10111213141516
17181920212223
24252627282930
31  

Publicidade

ARQUIVO GERAL

Alvaro Vilaça

Alvaro Vilaça

Jornalista, radialista, âncora do programa Tempo Esportivo na TV Sete Lagoas e diretor de programação da Rádio Eldorado AM1300

Redação Redação

Redação Redação

SILVA JUNIOR

Avatar

Cebolinha

Arnaldo Martins

Arnaldo Martins

Colunista do Hoje Cidade a mais de 20 anos, formado em Assistente de Administração de Empresas, funcionário público.

Rádio Eldorado