Cidade Saúde Super Destaques

Exclusivo: Mais leitos, parceria e usina de oxigênio. Duílio anuncia novas ações de combate à Covid em Sete Lagoas

Em entrevista à Rádio Eldorado, o Prefeito Duílio de Castro falou de novas ações de enfrentamento à Covid-19 e destacou importância das prefeituras da região atendida em Sete Lagoas

 

Além da nova unidade de atendimento com 24 leitos de enfermaria a ser inaugurada, a Prefeitura de Sete Lagoas acaba de fazer uma intervenção no Hospital Nossa Senhora das Graças e também adquiriu uma Usina de Oxigênio. Essas são algumas das novas ações de enfrentamento à Covid-19, anunciadas pelo Prefeito Duílio de Castro (Patriota) nesta segunda-feira (12), em entrevista à Rádio Eldorado. Como cidade polo, Sete Lagoas atende a mais 24 municípios da região, abrangendo uma população estimada em 600 mil pessoas. Confira a entrevista.

 

Qual a situação no momento Prefeito Duílio de Castro?

 

A situação de Sete Lagoas não é diferente do Estado e do País. Com a nova cepa, ela tem avançado bastante e estamos muito preocupados em aumentar nossa estrutura para atender melhor, e não deixar ninguém desassistido, porque como a contaminação está grande, precisamos criar suporte para atender Sete Lagoas e região. Estamos atualmente com mais 100% de ocupação de leitos e nós, precisamos que a população nos ajude, fazendo sua parte para evitar que sobrecarregue o nosso sistema para o tratamento da Covid-19.

 

Com relação às novas ações de enfrentamento da pandemia, o que vai representar em termos de atendimento?

 

Estamos em fase final da montagem da nova unidade, na antiga unidade de saúde mental no Centro, com capacidade que pode chegar a 24 leitos. Outra decisão foi com relação ao Hospital Nossa Senhora das Graças, através de um diálogo muito bom com a diretoria e o conselho do hospital, decidimos fazer uma intervenção de parte da estrutura física da instituição. Vale ressaltar, que se fala em intervenção porque não é do município, mas na verdade, foi resultado de uma parceria muito boa, considerando que o hospital vinha enfrentando dificuldades para a compra de medicamentos como, kit de intubação e outros, até mesmo pelo alto valor de mercado. Não foi nenhuma imposição e temos que agradecer ao hospital pela parceria, onde o município passa a assumir dois andares, o 2º e 8º. Essa decisão foi importante também, já que o hospital fez a suspensão de atendimentos para conveniados de planos de saúde, e com isso, sobrecarrega o sistema de atendimento do SUS.  Estamos adquirindo uma Usina de Oxigênio, tendo em vista que já temos dificuldades dos fornecedores devido à demanda.

 

Com relação aos municípios da região, o que ficou definido após reunir-se com eles prefeito?

 

Sete Lagoas, por ser uma cidade polo, absorve a demanda de toda a região. A reunião com os prefeitos foi importante para mostrarmos a realidade. Todo o atendimento gasto com pacientes da Covid, na enfermaria no período de janeiro a março deste ano, o município ainda não recebeu do governo. Somente recebemos referente às despesas dos leitos de UTI e, foi essa situação que mostramos para eles. Nesta reunião discutimos a necessidade de aumento dos leitos para atendimento. O tratamento da Covid é mais caro, com medicamentos de alto custo, além da montagem da equipe que envolve vários profissionais de diferentes áreas, o que encarece ainda mais os custos.  Vale lembrar que, mesmo que as cidades quisessem montar a estrutura, não tem material humano no mercado, daí a importância de aumentarmos a estrutura da cidade polo para atendimento de todos. Essa reunião com o Consórcio Cismisel, juntamente com os prefeitos da Amav, serviu para um consenso das ações, ou seja, centralizar os casos mais urgentes em Sete Lagoas, o que exige o aumento de leitos com apoio de todos os prefeitos. Foi uma reunião bastante positiva e agradecemos a todos os prefeitos que entenderam, para a deliberação das decisões em assembleia, a partir do levantamento populacional de cada município, juntos enfrentarmos a situação.

 

No aspecto econômico, o Sr. tem reunido com os comerciantes, como aconteceu nesta segunda.  Como administrar pandemia e economia na onda roxa?

 

É uma situação muito difícil. Eu não vejo o comércio como vilão e não é ele que está aumentando os índices de contaminações. A economia precisa caminhar paralelamente com a pandemia. Estamos fazendo o possível e o impossível em termos de estrutura de atendimento, mas precisamos também, garantir a economia gerando renda, riqueza e trabalho para as pessoas. Se não for assim, daqui alguns dias teremos que tratar, além da pandemia, também das pessoas passando dificuldades em casa. Eu acho que o Estado tem que repensar esse decreto com a economia aberta, com segurança e conscientização no sentido de que, as pessoas só saiam de casa por necessidade. Quem tiver a opção e puder, que trabalhe em home office. Acho que é isso que precisa ser feito para passarmos por esse pico da doença e, não com esses transtornos de agora, quebrando as pessoas, o comércio e gerando desemprego como tem acontecido.

 

Em termos financeiros, como Sete Lagoas, sendo cidade polo está enfrentando a pandemia. De onde tirar recursos?

 

Com o comerciante de portas fechadas, trabalhador desempregado, a prefeitura também sem atendimento ao público, não tem arrecadação, o que nos exige novas decisões como administrador. Decidimos suspender despesas de outras secretarias como, esporte, cultura, obras, tapa-buracos, porque não tem nada mais importante neste momento do que tentar salvar vidas. Hoje toda arrecadação vai para pagamento de folha, os servidores precisam receber e garantirmos a estrutura cada vez melhor da saúde, principalmente contra o novo coronavírus. Nossa prioridade hoje é a saúde, se tivermos condições de fazer outras obras com parcerias, como já fizemos na praça com o Sicoob / Credisete e em novos empreendimentos, faremos e temos feito com criatividade, mas a nossa prioridade hoje, é a saúde no enfrentamento à Covid 19 e outras doenças.

 

E a vacinação solidária, como está prefeito?

 

A vacinação solidária foi implantada através de decreto e, quem puder ajudar, no momento que vai vacinar, estará ajudando famílias que enfrentam dificuldades no momento. É uma ajuda espontânea de acordo com as condições de cada um. Queremos pedir esse apoio da população com a doação em alimentos, é muito importante. Com isso, a população estará ajudando o próprio município, que terá com mais recursos para investir na saúde, uma vez que em caso de necessidade, a Secretaria de Assistência Social precisa comprar cestas para as famílias. Gostaria de aproveitar e agradecer mais uma vez a todos os profissionais de saúde, a todos que são verdadeiros heróis neste momento, arriscando a sua vida e arriscando a de suas famílias quando voltam para casa, diariamente cuidando do próximo, isso não tem preço. A eles, o nosso reconhecimento, gratidão e oração pela árdua e nobre missão. Juntos, vamos vencer essa guerra.

Barbara Dias

Barbara Dias

Jornalista com especialização em publicidade e marketing, coordenadora do Portal Sete, editora chefe do Jornal Hoje Cidade e assina o programa Tarde Viva na Rádio Eldorado AM 1300

COMENTAR

Clique aqui para enviar um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Eldorado1300

AGENDA

setembro 2021
D S T Q Q S S
 1234
567891011
12131415161718
19202122232425
2627282930  

Publicidade

ARQUIVO GERAL

Alvaro Vilaça

Alvaro Vilaça

Jornalista, radialista, âncora do programa Tempo Esportivo na TV Sete Lagoas e diretor de programação da Rádio Eldorado AM1300

Barbara Dias

Barbara Dias

Jornalista com especialização em publicidade e marketing, coordenadora do Portal Sete, editora chefe do Jornal Hoje Cidade e assina o programa Tarde Viva na Rádio Eldorado AM 1300

SILVA JUNIOR

Avatar

Cebolinha

Arnaldo Martins

Arnaldo Martins

Colunista do Hoje Cidade a mais de 20 anos, formado em Assistente de Administração de Empresas, funcionário público.

Rádio Eldorado