Construído sobre a plataforma modular EMP2, o DS 4 chama atenção pela beleza. Sem as formas arredondadas da Citroën, o novo DS é mais uma criação de estilo da escola Peugeot.

A dianteira tem um quê de Audi, com grade imensa e faróis mais afilados. No entanto, os recortes e vincos radicais dos franceses se apresentam nas laterais e principalmente na coluna C, que tem um recorde drástico. Elementos que dão movimento ao carro de acordo com a incidência de luz.

Design à parte, o DS 4 chega para se posicionar no segmento C SUV Premium, onde figuram modelos como Q3 Sportback, X2, XC40, 3008,C GLA, iPace. Com 4,40 m de comprimento (2,62 m de entre-eixos), ele não é um jipinho miúdo. Tem quase a medida de um Jeep Compass (4,42 m), o que indica que a marca quer entregar espaço interno generoso para privilegiar o conforto. Seu porta-malas comporta 430 litros.

“O DS 4 foi concebido para redefinir o contorno do segmento Premium C. Ele é direcionado a clientes atraídos por duas formas de carroceria: o novo aspiracional Coupé-SUV e o tradicional hatchback compacto. Em todas as fases do seu design, a ideia de apelar para esses dois segmentos guiou nossas decisões”, explica a diretora de Produto da DS Automobiles, Marion David.

Motor

O DS 4 foi desenvolvido para ser um carro híbrido. Inclusive, sua plataforma é ajustada para esse tipo de motorização eletrificada. O SUV estreia com opção híbrida plug-in, que combina motor térmico de 180 cv e outros 110 cv do elétrico. No entanto, no modo híbrido, a potência dos dois motores em conjunto é de 225 cv.

Completa o powertrain a transmissão automática de oito marchas e-EAT8. Ainda segundo a marca, o SUV pode rodar até 50 quilômetros apenas na eletricidade.

Por dentro

Por dentro, o DS 4 oferece o que se espera do antigo selo de prestígio da Citroën. O visual impressiona, com a combinação de elementos em alumínio e uma profusão de couro por onde se olhe.

O modelo conta com três telas: o quadro de instrumentos, a central multimídia e uma terceira, localizada logo à frente dos comandos da transmissão, no console central. O monitor destacado tem função de controle do ar-condicionado. Se é prático, só vamos descobrir ao volante. Mas que é bonito e sofisticado, isso não há dúvidas.

Matriz

O DS 4 é um carro formatado para o mercado europeu. Dificilmente chegaria ao Brasil, apesar de seus antecessores terem sido vendidos por aqui, ainda como Citroën.

No entanto, essa plataforma EMP2 servirá de base para futuros modelos, assim como a CMP, que lhe serviu de base. São carros que fatalmente deverão chegar aqui no futuro, com emblemas Fiat, Peugeot, Citroën e até mesmo Jeep, todas sob o imenso guarda-chuvas da Stellantis.