Destaques

POLÍCIA INVESTIGARÁ SE CRIANÇA QUE MORREU JOGAVA POKÉMON GO

size_810_16_9_pokemon-go

São Paulo – Uma criança morreu afogada no Rio Grande do Sul na segunda-feira e a polícia local informou que investigará se o menino de 9 anos estava caçando personagens do game Pokémon Go antes do incidente ocorrido no rio Tramandaí.

O menino, identificado apenas como Artur segundo comunicado da Polícia Civil da cidade Imbé (RS), não sabia nadar. O incidente ocorreu durante a tarde de segunda-feira, mas ganhou repercussão na mídia local nesta quarta-feira.

“Foi amplamente noticiado que as crianças jogavam o game Pokémon Go e entraram no rio para caçar pokémons. Inclusive, tal informação constou no histórico da ocorrência de falecimento, registrada pela Brigada Militar”, afirmou a polícia civil em comunicado publicado nesta quarta.

Segundo a polícia, a mãe de Artur negou que o menino tivesse celular e o amigo dele, João Pedro, negou que estivessem jogando o game.

“Tal smartphone, da marca Alcatel, modelo “One Touch Pixi”, no qual não está instalado o aplicativo, foi arrecadado pela autoridade policial e será submetido à perícia”, afirmou a polícia civil de Imbé.

Representantes da Brigada Militar não comentaram o assunto, como também representantes da secretaria de segurança da cidade. Procurado, o delegado da polícia civil que acompanha o caso, Antônio Carlos Ractz Jr, afirmou que o propósito da perícia é determinar se o aplicativo estava instalado no celular no momento do acidente.

“No smartphone aprendido hoje o aplicativo não está instalado. A perícia é para confirmar isso.”

Se a perícia comprovar que Pokémon Go estava instalado no aparelho, o delegado afirmou que as autoridades estudarão “tomar uma medida judicial contra o fabricante do aplicativo, porque este aplicativo não tem nenhuma restrição de idade e já tem causado acidentes no mundo inteiro”.

Pokémon Go chegou ao Brasil na semana passada depois de obter milhões de fãs por diversos países do mundo desde seu lançamento em julho.

O jogo foi desenvolvido pela norte-americana Niantic em conjunto com a Pokémon Company, que detém os direitos dos personagens. A Niantic não tem representante no Brasil.

No jogo de realidade amentada, os jogadores têm que caçar pokémons projetados na tela de seus celulares sobre imagens reais captadas pela câmera dos aparelhos.

Apenas nos Estados Unidos, o game atraiu 21 milhões de usuários ativos, o que tem criado preocupações com segurança naquele país e também no Brasil, onde casos de roubos de celulares e a usuários do jogo têm sido registrados, segundo informações da mídia.

 

Da redação, com Revista Exame

Barbara Dias

Barbara Dias

Jornalista com especialização em publicidade e marketing, coordenadora do Portal Sete, editora chefe do Jornal Hoje Cidade e assina o programa Tarde Viva na Rádio Eldorado AM 1300

COMENTAR

Clique aqui para enviar um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Eldorado1300

AGENDA

setembro 2019
D S T Q Q S S
« ago    
1234567
891011121314
15161718192021
22232425262728
2930  

Publicidade

ARQUIVO GERAL

Alvaro Vilaça

Alvaro Vilaça

Jornalista, radialista, âncora do programa Tempo Esportivo na TV Sete Lagoas e diretor de programação da Rádio Eldorado AM1300

Barbara Dias

Barbara Dias

Jornalista com especialização em publicidade e marketing, coordenadora do Portal Sete, editora chefe do Jornal Hoje Cidade e assina o programa Tarde Viva na Rádio Eldorado AM 1300

SILVA JUNIOR

Silva Júnior

Silva Júnior

Silva Júnior - Jornalista, radialista, colunista e setorista do futebol sete-lagoano, assina ainda o programa Eldorado nos Esportes na Rádio Eldorado AM 1300

Cebolinha

Arnaldo Martins

Arnaldo Martins

Colunista do Hoje Cidade a mais de 20 anos, formado em Assistente de Administração de Empresas, funcionário público.