Craques decidem, Cruzeiro se impõe no Maracanã e abre boa vantagem sobre o Flamengo nas oitavas da Libertadores

0
79
Foto: Web

Com gols de Arrascaeta e Thiago Neves, time celeste vence rubro-negro em noite de grande atuação no maior palco do futebol brasileiro

O Cruzeiro fez um jogo gigante, digno de seu histórico copeiro de conquistas nacionais e internacionais, e venceu o Flamengo por 2 a 0 na noite desta quarta-feira, no Maracanã, pelo confronto de ida das oitavas de final da Copa Libertadores. Mais uma vez, os craques Arrascaeta e Thiago Neves se destacaram em duelo decisivo. O uruguaio teve muita frieza ao marcar o primeiro gol, aos 9min da etapa inicial, ao rolar a bola para o fundo das redes após receber grande passe de Robinho. E o camisa 30, que apesar de não viver boa fase pelo clube, aproveitou-se de chute de fora da área de Lucas Silva, aos 33min do segundo tempo, para desviar o pé esquerdo na bola e ampliar a vantagem celeste. Os flamenguistas que foram embora antes do encerramento da partida deram ‘sorte’, pois não vivenciaram o ‘drama’ de ver o clube do coração correr o risco de sofrer uma goleada histórica no maior palco do futebol brasileiro. Nos minutos finais, o Cruzeiro desperdiçou duas grandes chances: uma com Raniel, aos 47min, e outra com Rafinha, aos 48min.

Mesmo em desvantagem na posse de bola (38% a 62%), o Cruzeiro criou as melhores oportunidades da partida e fez por merecer o resultado. Ao melhor ‘estilo Mano Menezes’, o time ‘deixou’ o adversário tocar a bola, foi firme na marcação e ágil nos contra-ataques. O bom futebol apresentado no Rio de Janeiro encerrou um jejum de nove anos sem ganhar no Maracanã. Outro feito relevante alcançado nesta quarta foi que Arrascaeta se isolou na condição de maior artilheiro estrangeiro da história do clube, agora com 46 gols em 173 partidas.

Pelas oitavas de final da Copa Libertadores, Cruzeiro e Flamengo voltarão a se enfrentar no dia 29 (quarta-feira), às 21h45, no Mineirão. Para se classificar, o time mineiro pode até perder por um gol de diferença. O Flamengo, por sua vez, precisará balançar as redes no mínimo três vezes caso não queira depender de uma decisão por pênaltis. Quem avançar às quartas de final, enfrentará o ganhador de Boca Juniors-ARG x Libertad-PAR. Os argentinos venceram o jogo de ida nesta quarta-feira, por 2 a 0, no La Bombonera. O ex-cruzeirense Ramón Ábila fez o primeiro gol dos xeneizes.

No domingo, às 16h, o Maracanã receberá mais um Flamengo x Cruzeiro, mas pela 18ª rodada do Campeonato Brasileiro. A tendência é que o técnico Mano Menezes escale um time reserva, pois na quarta-feira seguinte, às 19h30, haverá o segundo confronto das quartas de final da Copa do Brasil, contra o Santos, no Mineirão. Na Série A, a Raposa está na oitava posição, com 25 pontos. Já o Fla briga pelo topo da tabela: ocupa a vice-liderança, com 34.

O jogo
Pouco menos de um ano depois da decisão da Copa do Brasil, o Cruzeiro se viu diante do Flamengo para mais um mata-mata, desta vez pelas oitavas de final da Copa Libertadores. E o déjà vu da conquista do penta em 2017 veio logo aos 9min, em boa trama do setor ofensivo celeste. Robinho recebeu de Thiago Neves e teve calma para girar o corpo e tocar a bola no meio da zaga flamenguista. Arrascaeta recebeu livre. Não havia impedimento, pois o lateral-direito Rodinei dava condições. O uruguaio, então, mostrou frieza para rolar no canto direito de Diego Alves: 1 a 0. Certamente, o torcedor cruzeirense se lembrou do gol dele no jogo de ida da final da Copa do Brasil de 2017, contra o mesmo Flamengo, no mesmo Maracanã. Também houve recordações do primeiro tento azul no clássico contra o Atlético, no Mineirão, pelo segundo duelo da final do Estadual. Com calma e categoria, Arrascaeta mostrou, mais uma vez, ser o cara das decisões!
O Cruzeiro, de modo geral, fez um bom primeiro tempo. Mesmo em desvantagem na posse de bola (40% a 60%), foi perigoso quando avançou. Aos 19min, o grito de gol ficou preso na garganta dos cruzeirenses, quando Thiago Neves recebeu cruzamento de Robinho e, sozinho na pequena área, cabeceou no travessão. As idas da equipe celeste à frente eram estratégicas, ‘à moda’ Mano Menezes. Quando o time ultrapassava a linha do meio-campo, apostava na velocidade de Arrascaeta e na visão de jogo de Robinho. Os volantes Henrique e Lucas Silva também apareceram bem, sobretudo no combate aos homens de meio-campo do Flamengo: Everton Ribeiro, Jean Lucas, Diego e Marlos Moreno. Na zaga, Dedé e Leo foram soberanos na bola aérea.
O Flamengo, por sua vez, começou a sofrer com a impaciência de seus torcedores, que pegaram no pé principalmente de Rodinei, responsável por deixar Arrascaeta em posição legal no lance do gol. Somente no primeiro tempo, o rubro-negro dispôs de 12 escanteios, porém só aproveitou um, aos 34min, quando Uribe cabeceou para baixo e obrigou Fábio a espalmar. Na sobra, Edilson ainda conseguiu tocar de bico na bola e evitou que Diego chegasse para concluir a gol. Já aos 46min, Rodinei bateu rasteiro, em cima de Fábio. Foi o lance derradeiro da etapa inicial.
No segundo tempo, o Cruzeiro recuou um pouco suas linhas, chamando o Flamengo para cima. A tática de segurar o 1 a 0 gerou alguns riscos. Aos 3min, Rodinei ganhou de Egídio e cruzou na cabeça de Uribe, que testou firme no canto esquerdo. Fábio se esticou e fez belíssima defesa. Recuperado do susto, o time celeste deu continuidade à proposta de esperar o Fla e contra-atacar no momento certo.
Aos 16min, Mano Menezes chamou Raniel e o colocou no lugar de Hernán Barcos. Sangue novo em campo. O camisa 17 passou a incomodar bastante a defesa do Flamengo, apertando os zagueiros Léo Duarte e Réver e o volante Cuéllar na saída de bola. Após erro de passe do Fla, aos 24min, Raniel ajeitou a bola no peito e já girou chutando com o pé direito, mandando a redonda rente ao poste do goleiro Diego Alves. Aos 30min, mais uma grande chance para o Cruzeiro: Egídio ameaçou cruzar para a área, porém encontrou Thiago Neves sozinho na meia-lua. O camisa 30, contudo, preferiu arrematar de primeira a dominar a bola e errou o alvo por muito.
As circunstâncias do segundo tempo indicavam que o Cruzeiro estava mais próximo de marcar o segundo gol que o Flamengo de alcançar o empate. Atrás, o time tinha segurança graças às performances de seus defensores. Na frente, atormentava a marcação flamenguista, com jogadores habilidosos e velozes. Até que, aos 34min, a casa caiu de vez para o time mandante. Lucas Silva foi acionado por Arrascaeta e chutou forte de fora da área. No meio do caminho, Thiago Neves desviou com o pé canhoto e tirou Diego Alves de cena. Gol do Cruzeiro: 2 a 0. A partir dali, a multidão vestida de vermelho, incrédula com o resultado, começou a deixar o Maracanã. E os 5 mil cruzeirenses no maior templo do futebol brasileiro não tiveram dúvidas ao cantar: “O Maraca é nosso!”. O placar só não virou goleada porque Diego Alves, goleiro do Flamengo, defendeu os chutes de Raniel, aos 48min, e Rafinha, aos 49min, ambos em lances de contragolpes.
FLAMENGO 0X2 CRUZEIRO
FLAMENGO
Diego Alves; Rodinei (Pará, aos 39min do 2ºT), Léo Duarte, Réver e Renê; Cuéllar; Everton Ribeiro, Diego, Jean Lucas (Vitinho, aos 18min do 2ºT) e Marlos Moreno (Lincoln, aos 30min do 2ºT); Fernando Uribe
Técnico: Maurício Barbieri
CRUZEIRO
Fábio; Edilson, Dedé, Leo e Egídio; Henrique e Lucas Silva; Robinho (Rafinha, aos 27min do 2ºT), Thiago Neves (Ariel Cabral, aos 35min do 2ºT) e Arrascaeta; Barcos (Raniel, aos 16min do 2ºT)
Técnico: Mano Menezes
Gols: Arrascaeta, aos 9min do 1ºT. Thiago Neves, aos 33min do 2ºT (CRU)
Cartões amarelos: Cuéllar, aos 21min do 2ºT (FLA); Thiago Neves, aos 13min do 1ºT. Robinho, aos 14min do 2ºT (CRU)
Motivo: jogo de ida das oitavas de final da Copa Libertadores
Estádio: Maracanã, no Rio de Janeiro
Data: quarta-feira, 8 de agosto de 2018
Árbitro: Néstor Pitana (ARG)
Assistentes: Hernán Maidana e Gustavo Rossi (ARG)
Pagantes: 41.533
Presentes: 45.967
Renda: R$ 3.273.749,00
Da redação:superesportes

Deixe uma resposta