Melhor em campo, Perisic festeja: ‘Importante é a Croácia vencer’

0
242
Foto: Web

Autor do gol de empate na virada sobre Inglaterra comemora vaga inédita

Autor do gol de empate da Croácia no tempo normal e jogador responsável por mandar a bola de volta para a área que resultou no gol de Mandzukic no segundo tempo da prorrogação, Ivan Perisic foi eleito o melhor jogador em campo na vitória de sua seleção sobre a Inglaterra por 2 a 1, na semifinal da Copa do Mundo da Rússia. Ele conversou com os jornalistas após a partida, na sala de imprensa do Estádio Luzhniki, em Moscou.

“Foi uma partida muito difícil, esse era um jogo que sabíamos que seria bem complicado”, disse o jogador. Ele tentou explicar como foram os lances determinantes na partida. “No primeiro gol, eu consegui alcançar a bola. Foi muito importante porque estávamos dominando o jogo e não conseguíamos empatar. Já o segundo gol eu tentei devolver a bola para a área e deu resultado”, explicou o meia.

“Mas é o que eu sempre digo, não tem importância quem faz o gol, o importante é a seleção da Croácia fazer o gol, ganhar o jogo. Quero aproveitar para agradecer a torcida que esteve presente em Moscou e todos que estão na Croácia”, disse o atleta.

Ivan Perisic ainda lembrou da partida entre Croácia e França na Copa do Mundo de 1998 – as duas seleções fizeram a semifinal do torneio e os franceses venceram por 2 a 1, de virada. “Eu me lembro que 20 anos atrás eu estava na minha cidade, com os amigos da escola, vestido com a camisa da Croácia. Eu sonhava em defender a minha seleção”.

Sobre a França, ele disse que todos na Croácia conhecem os adversários deste domingo. “Vimos os jogos e sabemos que eles tiveram um grande progresso. Ganharam da Bélgica, que estava muito bem, todos esperavam que eles avançassem após passarem pelo Brasil. A França tem grandes jogadores e um grande técnico”, afirmou o jogador.

O único momento em que Ivan Perisic ficou incomodado foi quando ele foi questionado sobre sua vida na França. Ele e sua família se mudaram da Croácia quando ele tinha 17 anos para o país que neste domingo ele enfrentará na decisão da Copa do Mundo – começou a sua carreira no Sochaux, que disputa a primeira divisão do Campeonato Francês; hoje atua na Internazionale, na Itália.

“Essa é uma pergunta muito difícil. Fomos para a França por conta de um problema particular em minha família. Eu aprendi francês, vivi lá, defendi o time. Tenho boas lembranças. Falei com a minha mãe nesses dias e ela me disse que tinha sonhado que a final da Copa seria entre Croácia e França. Agora o sonho se realizou. Vamos ver quem ganha no domingo”, completou o croata.

Da redação:superesportes

Deixe uma resposta