Coluna Tempo Esportivo – 03 de julho de 2018

0
366
Reunião entre os membros do PETI, PELC e demais colaboradores da Secretaria Municipal de Esportes e Lazer.

Tempo Esportivo

Primeiro Tempo

Para quem curte estatísticas e projeções, os números apresentados pelo Cruzeiro em 2018 empolgam e embalam o sonho da torcida!

Ao fim do primeiro semestre o Cruzeiro teve muito o que comemorar. Campeão Mineiro, com vaga garantida nas oitavas de final da Libertadores e na disputa por uma vaga nas quartas de final da Copa do Brasil, com vitória no primeiro jogo das oitavas contra o Atlético-PR, a equipe comandada pelo técnico Mano Menezes possui o maior aproveitamento no ano entre os clubes da elite do futebol brasileiro.

Ao lado do Flamengo, rival nas oitavas de final da Copa Libertadores, a Raposa conquistou quase 70% dos pontos que disputou em 2018. O Cruzeiro disputou 35 partidas, com 22 vitórias, sete empates e seis derrotas, já a equipe carioca conquistou 21 vitórias, com 10 empates e quatro derrotas, com os mesmos 35 pontos.

Com 19 gols sofridos no ano, a defesa cinco estrelas se destaca como a melhor do Brasil, com uma média de 0,54 gols sofridos por jogo. Em 2018 o time ficou sem ter as redes balançadas em 62,86% dos jogos que disputou, ficando atrás somente do Flamengo com 65,71%.

O primeiro compromisso pós-Copa do Mundo será no dia 16 de julho, contra o Atlético-PR, no jogo de volta das oitavas de final da Copa do Brasil. Em seguida, o time celeste terá outros dois jogos pelo Brasileirão também no Mineirão contra o América e o próprio Atlético-PR.

Números positivos e otimismo são ingredientes que não faltam para o Cruzeiro na sequência de uma temporada que pode entrar para a história do clube!

Segundo Tempo

A discussão sobre a relevância do tema “Copa do Mundo” continua e a diversidade de opiniões é cada vez maior. Grande parte das pessoas, mesmo entendendo o momento ruim do país, sob os aspectos sociais, econômicos, políticos e até éticos, converge para o apoio à Seleção Brasileira e entra no clima da Copa do Mundo de uma forma positiva, mostrando satisfação com o evento.

É bem verdade que a seleção brasileira de 2018 é a seleção das grandes marcas, pode ser a seleção do selfie, a seleção de algumas meritocracias individuais e que gera até manchetes pelo penteado de um jogador, ou das idas e vindas de seu relacionamento amoroso, mas, ainda assim, continua sendo a maior representação esportiva do País. O ideal é que a maior parte das manchetes estivesse atribuída aos aspectos técnicos e táticos de jogo, mas, parte da imprensa sensacionalista prefere dar outro tipo de foco, que não o próprio futebol, em sua essência e os próprios atletas têm parcela de culpa nisso.

É uma seleção que não chega a encantar de forma extraordinária, talvez não empolgue tanto como em outros tempos, mas continua a emocionar os amantes do futebol.

É preciso tomar cuidado com a forma de se externar as insatisfações por tantos problemas que o País tem enfrentado. O futebol é “apenas” futebol e as outras coisas são as outras coisas, ou seja, não é através de eventuais revezes da seleção brasileira que o País voltará para os trilhos.

Ao confundir os problemas do Brasil com as questões que geram crise para os brasileiros, o que haverá de resultado é a perda de identidade da população com a Seleção, ocasionando queda de prestígio do time perante a sociedade! E aí, surgirá o questionamento: Se a seleção brasileira perder seu grau de importância junto ao público e cair em popularidade, será que os outros problemas do País serão resolvidos? Façamos uma reflexão!

PETI Sete Lagoas firma parceria com a Secretaria de Esportes e Lazer

O trabalho infantil é um grave problema social nos países pobres ou em desenvolvimento. Estima-se que no Brasil, cerca de 5 milhões de jovens entre 5 e 17 anos trabalhem. É menor de idade no país quem não completou 18 anos. Porém, a lei determina que a idade mínima para ingressar no mercado de trabalho seja de quatorze anos de idade, salvo na condição de aprendiz.

Em Sete Lagoas existem inúmeras ações de caráter preventivo e de apoio que têm sido realizadas visando a erradicação do trabalho infantil, uma das prioridades da Prefeitura de Sete Lagoas e, consequentemente, da Secretaria Municipal de Assistência Social.

“Não há dúvidas de que o trabalho infantil pode causar danos irreversíveis àqueles que o executam. Proteger as crianças e os adolescentes é um dever de todos”

Dentre essas ações de destaque está o PETI, o Programa de Erradicação do Trabalho Infantil, cujo objetivo principal é, em primeiro lugar, evitar e, em seguida, combater o trabalho infantil existente, garantindo que os jovens tenham acesso a um desenvolvimento pleno.

As ações do PETI, um programa de caráter intersetorial, integrante da política Nacional de Assistência Social, compreendem trabalho social com famílias e oferta de serviços sócio educativos para crianças e adolescentes que se encontrem em situação de trabalho infantil.

Muitas formas de exploração do trabalho infantil, frequentemente admitidas pela sociedade, acabam por torná-lo invisível tanto na cidade quanto no campo. As causas que levam meninas e meninos às ruas e ao trabalho são muitas, mas o engajamento da sociedade no combate é essencial.

Luciano Gonçalves, que é gerente de Proteção Social Especial e coordenador do PETI em Sete Lagoas, explica como funciona o Programa: “É um programa Federal e diretamente ligado à Secretaria de Assistência Social e à Gerência de Proteção. Toda a articulação das ações do PETI se dá através dos equipamentos do CREAS (Centro de Referência de Assistência Social), CRAS, conselhos tutelares, Secretarias de Educação, Saúde e Esportes, que também são instrumentos de busca ativa por crianças em regime de trabalho infantil.

O Prefeito Leone Maciel é um grande apoiador do projeto: “Não há dúvidas de que o trabalho infantil pode causar danos irreversíveis àqueles que o executam. Proteger as crianças e os adolescentes é um dever de todos e eu trato essa questão de forma prioritária dentro do nosso Governo”.

Buscando integralizar ações de combate e erradicação do trabalho infantil no município, a Secretaria Municipal de Assistência Social e Direitos Humanos, através do Programa de Erradicação do Trabalho Infantil – PETI realizou encontro com o Secretário de Esportes e Lazer Fabrício Fonseca e os coordenadores do PELC para alinhamento de parceria no encaminhamento de crianças e adolescentes em situação de trabalho infantil no município para as oficinas do programa.

O papel do PELC será fundamental junto aos diversos bairros e regiões da cidade. O Programa tem vários núcleos e abrange centenas de pessoas de todas as faixas etárias, trabalhando com muita proximidade de grande parcela da população.

A participação da comunidade é muito importante neste projeto. Todos podem ajudar para o sucesso do PETI, denunciando situações de exploração de crianças e adolescentes através do telefone no serviço Disque 100, ou diretamente a um dos três Conselhos Tutelares existentes em Sete Lagoas pelos telefones: 3773-9851, 3776-4671 e 3774-1522.

Com equipes da Liga de Pompeu e apoio da Prefeitura, Campeonato Regional começa após a Copa do Mundo

Após algumas reuniões e muitos ajustes de datas e formatos de disputa, o Campeonato Regional de Futebol Amador de Sete Lagoas deverá começar logo após o encerramento da Copa do Mundo na Rússia.

A competição é uma realização da Liga Eclética Desportiva Sete-Lagoana, com apoio da Prefeitura de Sete Lagoas, através da Secretaria Municipal de Esportes e Lazer.

Até o momento, 19 equipes estão confirmadas para esta edição, mas o número poderá subir, já que outras agremiações demonstraram interesse na participação e aguardam viabilidade financeira para oficializar a entrada.

O Campeonato Regional de Futebol Amador faz parte do calendário esportivo da cidade e o apoio da Prefeitura, através da Secretaria de Esportes, foi um pedido do Prefeito Leone Maciel: “Todas as competições que agregam para os desportistas da nossa cidade devem ter o apoio do poder público. O esporte é um dos melhores caminhos para promover harmonia entre as pessoas, gerando entretenimento e práticas saudáveis, o que aumenta a qualidade de vida de todos os envolvidos!” Afirmou Leone.

A relação dos participantes confirmados é a seguinte:

Equipes da Liga de Sete Lagoas:

América de Prudente de Morais
Curitiba
Ideal
Inhaumense
Lagoinha de Funilândia
Paraíso de Araçaí
Paraopeba
Sete de Setembro de Caetanópolis
Sociedade Esportiva Ícaros
União Brejinho
Vasco da Gama de Papagaios

Equipes filiadas à Liga de Pompeu:

Avaí de Pompeu
Cap de Pompeu
Cristalino de Pompeu
Abadia de Martinho Campo
União/Martinho Campos
Bom Jesus/Curvelo
Ibitirense/Ibitira
Guarani/Buriti Grande

A presidente da Liga Eclética Desportiva Sete-lagoana, Lea Dias, falou sobre a expectativa para o início da competição: “A nossa expectativa é a melhor possível, principalmente por termos conseguido trazer novamente equipes renomadas da região para o nosso campeonato. Creio que será uma das melhores competições de todos os tempos. Todas as agremiações que confirmar presença nos honram com suas participações. Aproveito a oportunidade para agradecer ao Prefeito Leone Maciel e ao Secretário de Esportes, Fabrício Fonseca, pela parceria e colaboração conosco, ao longo de todo o ano, para que pudéssemos realizar um grande número de competições aqui em Sete Lagoas. Sem o apoio deles não seria possível termos um calendário tão robusto como este!”

Deixe uma resposta