Vice Presidente do Observatório Social foi o entrevistado do Passando a Limpo desta sexta-feira (08)

0
277

O programa “Passando a Limpo” desta sexta-feira (08) recebeu José Roberto da Silva, vice-presidente do Observatório Social de Sete Lagoas. José Roberto abriu o programa falando um pouco sobre o trabalho do OS, que está sendo importante no cenário sete-lagoano. “O Observatório surgiu no Paraná com o auge da corrupção, para acompanhar o trabalho legislativo. Chegou em Sete Lagoas no mês de agosto do ano passado e está em vigor desde janeiro deste ano, monitorando os trabalhos e as contas do legislativo de Sete Lagoas. Em 2014 houve um grande desvio de dinheiro da Câmara municipal de Sete Lagoas e quando veio à tona, o então presidente da casa na época, o Vereado Fabrício Nascimento convocou algumas pessoas e apontou o ocorrido. Assim pensamos sobre o que poderíamos fazer para acompanhar e evitar que isso acontecesse. Depois de pensar e testar algumas medidas, o nosso grupo, auditor cidadão criou o Observatório de Sete Lagoas”, disse.

Várias pessoas fazem parte do OS, dentre voluntários e estagiários. O vice-presidente afirmou que apenas os estagiários recebem um valor mensal, os outros, são apenas voluntários. Ele disse ainda que não recebe dinheiro público ou nenhuma remuneração para manter o observatório.

José ressaltou sobre os pontos positivos das fiscalizações feitas pelo OS em Sete Lagoas. Ele disse que antes, não havia um retorno para a população sobre o trabalho do legislativo. Ele falou ainda que o OS faz o que todo cidadão deveria fazer na sociedade, mas não faz, que é acompanhar o trabalho dos órgãos públicos.

O OS, vem para trazer diversos benefícios para a população, principalmente devido à fiscalização realizada pelos profissionais, que trazem à tona os resultados e números de trabalhos realizados pelo observatório. Mesmo com os benefícios à sociedade, o trabalho do observatório gera um pouco de polêmica na Câmara Municipal, principalmente devido ao “Ranking dos Vereadores”, instaurado pelo grupo.

O vice-presidente comentou sobre a pontuação deferida a cada vereador e os critérios para avaliação de cada edil. As atividades são classificadas por muito baixo impacto, pouco, médio e alto impacto. Ele afirmou que as atividades de alto impacto são pontuadas principalmente quando os vereadores realizam sua função de fiscalização ao poder executivo, mas que muitos não realizam, não só em Sete Lagoas, mas em diversas outras cidades.

Confira o ranking de pontuação decorrente o trabalho de cada vereador:

José Roberto disse que todos os órgãos da cidade e Estado receberam carta informando sobre o trabalho do Observatório Social de Sete Lagoas. Ele disse ainda que vários órgãos receberam o grupo e se inteiraram sobre o mesmo, mas ainda aguarda reunião com a Prefeitura, o que ainda não aconteceu. O vice-presidente ressaltou que o Observatório não é oposição a ninguém e a nenhum partido, e que foi idealizado para ajudar a população e mostrar o trabalho dos órgãos.

O observatório de Sete Lagoas funciona de segunda a sexta–feira das 07h às 16h. O contato pode ser realizado também via e-mail: observatorio7l@gmail.com

O programa Passando a Limpo é apresentado por Álvaro Vilaça e Wagner Oliveira, e veiculado toada sexta-feira às 08h com reprises aos domingos, logo após a jornada esportiva, pela Rádio Eldorado em parceria com o site SeteLagoas.com.br.

Os apresentadores Álvaro Vilaça e Wagner Oliveira ladeando o vice presidente do Observatório Social de Sete Lagoas, José Roberto da Silva - Foto Giovani Cruz
Os apresentadores Álvaro Vilaça e Wagner Oliveira ladeando o vice presidente do Observatório Social de Sete Lagoas, José Roberto da Silva – Foto Giovani Cruz

Por Giovani Cruz

 

Deixe uma resposta