Tenha paciência

0
355
Reprodução da Internet

“As árvores que dão frutos são as que mais recebem pedradas”.

A frase acima mostra que a inveja, a falsidade e a raiva são usadas por pessoas que não têm a capacidade de alcançar o sucesso pelos méritos próprios. São pessoas que agem para prejudicar o próximo.

É lamentável existir numa equipe de trabalho, por exemplo, elementos com o nível de QI tão baixo, que tenha que falar dos defeitos dos outros ao invés de mostrar suas próprias qualidades.

Chegar ao sucesso é uma tarefa árdua, e ninguém alcança os seus objetivos com a inveja, a falsidade e a raiva.

Diz um sábio ditado: “Nada melhor que um dia após o outro”.

Se você é capaz, certamente seus méritos serão reconhecidos, hoje, amanhã e depois. Tenha paciência.

Atente para a história abaixo:
Vivia perto de Tóquio um grande samurai já idoso que se dedicava a ensinar zen aos jovens.
Apesar da idade, corria a lenda de que ele era capaz de derrotar qualquer adversário.
Certa tarde, um guerreiro conhecido por sua total falta de escrúpulos apareceu por ali.
Queria derrotar o samurai e aumentar sua fama.
O velho samurai aceitou o desafio, e o jovem guerreiro começou a insultá-lo.
Chutou algumas pedras em sua direção, cuspiu em seu rosto, gritou insultos, ofendeu seus ancestrais.
Durante horas fez tudo para provocá-lo, mas o velho samurai permaneceu impassível.
No final da tarde, sentindo-se já exausto e humilhado, o impetuoso jovem guerreiro retirou-se.
Desapontados, os alunos perguntaram:
– Mestre, como pode suportar tanta indignidade?
O mestre respondeu:
– Se alguém chega até você com presente e você não o aceita, a quem pertence o presente?
– A quem tentou entregá-lo, respondeu um dos discípulos.
– O mesmo vale para a inveja, a falsidade, a raiva e os insultos. Quando não aceitas, continuam pertencendo a quem os carregava consigo, disse o mestre.

Moral da história:

A sua paz interior depende exclusivamente de você. As pessoas não podem lhe tirar a calma, só se você permitir.

Tenha paciência.

Colaborador Academia

Até a semana que vem, se Deus quiser, e Ele há de querer.

Por Arnaldo Martins

Cebolinha

Deixe uma resposta