Com ausência de Fábio Santos, Kevin Kesley pode ter sua primeira chance no Atlético

0
101
Foto: Web

Lateral-esquerdo deve estrear pelo clube contra o Ferroviário-CE, no Castelão

O Atlético pode ter uma novidade nesta quarta-feira, às 21h45, contra o Ferroviário-CE, pelo jogo de volta da quarta fase da Copa do Brasil. O jovem Kevin Kesley, de 18 anos, pode fazer sua primeira partida no time principal do Alvinegro. Contratado pelo clube para jogar pelas categorias de base em março, o lateral-esquerdo deve ganhar a chance de ser titular no lugar de Fábio Santos.

Thiago Larghi já admitiu que vai poupar alguns atletas contra o Ferroviário, já que na primeira partida, no Independência, o Galo venceu por 4 a 0. O Alvinegro pode até perder por três gols de diferença. E o lateral Fábio Santos será uma das ausências. Em uma disputa de bola, o atleticano foi atingido na cabeça por uma cabeçada de Thiago Galhardo, do time carioca. Os dois jogadores sangraram bastante. Devido à forte pancada na cabeça, o lateral-esquerdo passou pelo protocolo de concussão, procedimento médico padrão em todos os esportes para esse tipo de choque e ainda não tem previsão de liberação.
Com isso, chance de ouro no colo de Kevin. O jovem, que chegou para as categorias de base, começou a treinar no time principal e virou o reserva imediato após a saída de Danilo Barcelos, emprestado para a Ponte Preta até o fim da temporada. Outra opção para o técnico Thiago Larghi é a entrada de Samuel Xavier no lado direito e Patric deslocado para o outro lado.
Quem é Kevin Kesley?
Natural de Osasco, Kevin tem apenas 18 anos. Ele chegou ao Galo vindo do Osasco Audax, de São Paulo. O interesse alvinegro no lateral-esquerdo surgiu ainda na Copa São Paulo de Futebol Júnior deste ano. As equipes estavam no mesmo grupo da competição e os paulistas eliminaram o Atlético na fase mata-mata, nos pênaltis.
Marques, coordenador das categorias de base do Atlético, em entrevista ao Superesportes, explicou como surgiu o interesse em Kevin. “Nós estreamos na Copa São Paulo contra a União Barbarense e estávamos no mesmo grupo do Audax. O Kevin era atleta do Osasco. Acompanhamos o jogo anterior ao nosso, entre Rio Branco-ES e Audax. Ele jogou muito bem, um lateral de muita força, passada forte, com ultrapassagens, com bons cruzamentos e um histórico de convocação para as seleções de base. É um atleta nascido no ano 2000, de 18 anos, que veio para fortalecer nosso time sub-20”, disse.
Kevin se destacou desde a categoria sub-15. O jovem serviu a Seleção Brasileira Sub-17 e conquistou taças. Na Copa São Paulo, se destacou sob o comando do técnico Leandro Mehlich. Quando o treinador foi promovido ao time principal, logo subiu o jovem lateral, que virou titular da equipe. Foram quatro jogos na Série A2 do Campeonato Paulista até a transferência ao Atlético. O ex-comandante ressaltou o perfil do jovem e contou até de uma mensagem enviada pelo atleta após ser relacionado pela primeira vez no Galo para o jogo contra o Vasco.
“Cheguei em novembro do ano passado. Ele já tinha um histórico bom em competições, desde o sub15. Fisicamente sempre foi muito forte e acabava sobressaindo. Quando assumi, ele estava subindo do sub-17 ao sub-20. A gente só deu sequência no trabalho dele. Só deixamos ele evoluir na passagem do sub-17 para o sub-20, uma evolução natural para a carreira de um atleta. Tem uma força física boa. Mas eu trabalhei pouco com ele. Subi o Kevin para o profissional assim que assumi a equipe e o coloquei direto como titular. O objetivo do clube era revelar atletas da base. O Kevin era muito focado. Tem muito potencial, tem coisas a evoluir. Tem força, foco, estrutura física pronta, mas ainda tem muito a evoluir tecnicamente. Se for bem trabalhado, se não se perder, não se deslumbrar, ele terá um futuro muito interessante pela frente. Na última sexta ele me mandou uma mensagem com a convocação para o jogo contra o Vasco. Agradeceu por tudo que passamos juntos aqui”, disse à reportagem.

Quem também relembrou a passagem de Kevin pelo Audax foi o assessor de imprensa do clube paulista, Marcos Teixeira. O funcionário ressaltou o perfil brincalhão de Kevin e as qualidades do jogador. Marcos revelou ainda que o Palmeiras tinha interesse nele.
“O Kevin era bastante brincalhão. Quando se inscreveu aqui, deu o nome de Kevin Marreta, não sei era um apelido interno. Quando iria colocar o nome dele assim, todos riram muito. É um jogador muito ofensivo, jogou na seleção sub-17. Foi um dos destaques da Copa SP. Perdeu um pouco de espaço na mudança de treinador. Mas ele jogou muito no time principal. Muito forte, chega fácil ao ataque. Tem uma personalidade muito boa, não sente pressão. Tinha interesse do Palmeiras, mas acabou indo para o Atlético”, ressaltou.
Chegada ao Atlético

Reprodução/Arquivo pessoal

Marques também comentou como foi a chegada de Kevin ao Atlético. E, assim como os funcionários do Audax Osasco, o dirigente alvinegro também ressaltou a personalidade do lateral-esquerdo.

“Foi gradativa a transição. Não é fácil para nenhum atleta chegar ao Atlético. Ele tem muita personalidade de jogo. Embora o curto espaço de tempo, ele já vinha sendo monitorado. Ele teve um pequeno problema de lesão, mas se recuperou e foi bem observado pelo pessoal do time de cima”.
O dirigente das categorias de base do Atlético ainda desejou boa sorte ao jovem e espera que ele tenha calma e, caso seja o escolhido, jogue sem pressão diante do Ferroviário.
“É um lateral de muita força, tanto ofensiva quanto defensiva. Ele tem que ter muita calma. É uma estreia. A gente torce muito pelo sucesso dele, como de todos os garotos que saem das categorias de base do Atlético. Tem que ter calma para ele trabalhar, sem fazer muito alarde, como foi sua chegada. Não sou adepto de muita euforia. Pedimos para fazer o que ele estava acostumado. A gente espera que ele tenha sorte se for utilizado contra o Ferroviário”, concluiu.
Da redação:superesportes

Deixe uma resposta