Cruzeiro cede empate e enfrenta o próprio Patrocinense nas quartas de final do Mineiro

0
109
Foto: Web

Gol irregular no fim da partida coloca time de Patrocínio no caminho da Raposa

O Cruzeiro caminhava para a 10ª vitória no Campeonato Mineiro, mas um gol do atacante Genesis, em posição de impedimento, garantiu o empate ao Patrocinense e colocou o próprio time de Patrocínio no caminho celeste nas quartas de final da competição. O placar de 1 a 1 neste domingo, no Estádio Pedro Alves do Nascimento, fez o CAP avançar ao mata-mata em oitavo lugar, com 13 pontos. Já a Raposa encerrou a primeira fase na liderança, com 29.

A atuação do Cruzeiro esteve longe de encher os olhos dos torcedores. Escalado com jogadores reservas e orientado pelo assistente técnico Sidnei Lobo, o time praticamente não criou no primeiro tempo e teve pouquíssimas chances na etapa complementar. Numa delas, marcou seu gol, com o atacante Rafael Marques, aos 26min. O lance foi bonito, já que o camisa 15 ajeitou a bola no peito, driblou o goleiro Neguetti e tocou de leve para o fundo da meta.
Por sua vez, o Patrocinense teve mais oportunidades ao longo dos 90 minutos e em pelo menos dois lances exigiu boas intervenções da defesa cruzeirense. Num dos ataques dos donos da casa, o goleiro Rafael fez grande defesa. Em outro lance, Dedé afastou dentro da pequena área. O empate poderia até fazer justiça ao esforço dos comandados de Wellington Fajardo, mas o gol foi irregular. Genesis se encontrava à frente do zagueiro Digão quando recebeu o passe e ficou livre para vencer Rafael. Por causa do equívoco do assistente de arbitragem Guilherme Dias Camilo, o Cruzeiro deverá formalizar uma reclamação à Federação Mineira de Futebol ao longo da semana.

O reencontro entre Cruzeiro e Patrocinense será no próximo sábado ou domingo, no Mineirão. A Federação Mineira de Futebol ainda não confirmou o horário do jogo. A única vantagem que a equipe da capital terá por ser líder da primeira fase é atuar diante de sua própria torcida. Um eventual empate levará para os pênaltis a briga por uma vaga nas semifinais.

O jogo
O Cruzeiro teve uma distribuição tática diferente da habitual. Sem o técnico Mano Menezes, que ficou em Belo Horizonte em trabalho com os jogadores titulares, o assistente Sidnei Lobo montou a equipe no 4-3-3, com Judivan aberto pelo lado direito, Rafael Marques na ponta esquerda, e Raniel centralizado.
Apesar do domínio na posse de bola, o time celeste não ofereceu perigo ao Patrocinense na etapa inicial. O goleiro Neguetti não fez uma defesa sequer. Já Rafael trabalhou em duas situações. Na primeira, aos 35min, pegou chute de Bruno Moreno em dois tempos. Na segunda, aos 40min, o camisa 12 precisou sair para o abafa após bola mal recuada por Digão.
Na volta para o segundo tempo, o Cruzeiro continuou improdutivo. E para piorar, esteve próximo de sofrer gol. Aos 7min, o Patrocinense optou por jogada ensaiada em cobrança de falta e só não balançou a rede porque Dedé cortou, dentro da pequena área, a bola cruzada por Ângelo. Já aos 11min, Ademir tentou duas vezes: na primeira, Rafael defendeu; no rebote, o atacante do CAP furou feio.
Aos 14min, Sidnei Lobo fez a primeira mexida na equipe e promoveu a entrada de Sassá no lugar de Judivan. O camisa 99 voltou a atuar pela Raposa depois de seis meses ausente em função de lesão na cartilagem do joelho direito.
Em entrevista às vésperas da partida, Sassá disse que nem saberia comemorar caso fizesse gol no regresso aos gramados. Quem celebrou, porém, foi Rafael Marques. Aos 26min, ele recebeu assistência de Mancuello, ajeitou no peito e driblou o goleiro Neguetti antes de tocar para as redes: 1 a 0. Foi o segundo gol do atacante pelo Cruzeiro. O primeiro havia sido marcado em 12 de julho de 2017, na vitória por 2 a 0 sobre o Atlético-PR, na Arena da Baixada, pela 13ª rodada do Campeonato Brasileiro.
Mas aos 39min da etapa final, a Raposa levou uma ducha de água fria. O atacante Gênesis, que entrara no lugar de Ademir, recebeu passe de Leomir em posição de impedimento e chutou rasteiro para deixar tudo igual: 1 a 1. No próximo sábado ou domingo, Cruzeiro e Patrocinense se reencontram, desta vez em jogo único no Mineirão, pelas quartas de final da competição.
PATROCINENSE 1X1 CRUZEIRO
PATROCINENSE
Neguetti; Ângelo, Deoclecio, Diego Borges e Mateus; Bruno Moreno, Mário César, Leomir e Diogo Peixoto (Marcelo Régis, aos 34min do 2ºT); Jefersom (Juninho Arcanjo, aos 28min do 2ºT) e Ademir (Genesis, aos 24min do 2ºT)
Técnico: Wellington Fajardo
CRUZEIRO
Rafael; Ezequiel, Dedé, Digão e Marcelo Hermes; Lucas Silva, Bruno Silva (Nonoca, aos 41min do 2ºT) e Mancuello; Judivan (Sassá, aos 13min do 2ºT), Rafael Marques e Raniel (Marcelo, aos 31min do 2ºT)
Técnico: Sidnei Lobo (Mano Menezes permaneceu em Belo Horizonte)
Gols: Genesis, aos 39min do 2ºT (PAT); Rafael Marques, aos 26min do 2ºT (CRU)
Cartões amarelos: Bruno Moreno, a 1min do 2ºT, Leomir, aos 28min do 2ºT (PAT); Ezequiel, aos 6min do 1ºT. Mancuello, aos 5min do 2ºT (CRU)
Motivo: 11ª rodada do Campeonato Mineiro
Estádio: Pedro Alves do Nascimento, em Patrocínio-MG
Data: domingo, 11 de março de 2018
Árbitro: Émerson de Almeida Ferreira
Assistentes: Márcio Eustáquio Santiago e Guilherme Dias Camilo
Da redação: superesportes

Deixe uma resposta