Acidente com ônibus de transporte coletivo deixa cinco mortos em BH

0
146
Foto/; Web

Um ônibus de transporte coletivo caiu nesta terça-feira (13) à noite em um córrego, em frente ao número 8 da rua José Luiz Raso, no bairro Mangueiras, na região de Barreiro, na capital, matando cinco pessoas. Os mortos, segundo o Corpo de Bombeiros, são o motorista do coletivo e quatro mulheres que viajavam no ônibus. A identificação das vítimas não havia sido divulgada até as 23h de terça-feira.

Foto/; Web
Foto/; Web

Outras 18 pessoas, todas ocupantes do veículo, ficaram feridas, segundo o comandante do 1º Comando Operacional de Bombeiros, coronel William da Silva Rosa. Dessas, pelo menos quatro são casos graves, que foram encaminhados ao Hospital de Pronto-Socorro João XXIII (HPS). Outras sete foram socorridas por populares e mais sete vítimas levadas pelos socorristas aos hospitais Odilon Behrens e Risoleta Neves. Entre os feridos graves estaria um adolescente, segundo testemunhas.

Uma moradora contou que o ônibus descia a rua José Luiz Raso e deveria entrar na rua Oscar Galdino, mas passou direto. Cerca de um quarteirão à frente, o coletivo caiu no leito do como córrego do Mangueiras. As causas do acidente ainda serão esclarecidas. O coletivo sai da estação Diamante e faz o retorno no ponto onde aconteceu o desastre.

Um helicóptero foi acionado para ajudar no resgate. Do alto, um canhão de luz ajudou as equipes de resgate a localizarem os feridos que caíram no córrego e também na retirada dos corpos. Todas as ruas de acesso ao local do acidente foram interditadas. Nas imediações era grande a movimentação de curiosos.

Vistoria

Por meio de nota, a Prefeitura de Belo Horizonte informou na terça-feira que o plano de contingência do Centro de Operações de Belo Horizonte (COP-BH), que faz o controle integrado da cidade, foi acionado imediatamente. Segundo o comunicado, toda assistência às vítimas foi iniciada tão logo ocorreu o desastre.

Segundo a prefeitura, a última vistoria feita no coletivo foi em 27 de outubro do ano passado e a próxima, de acordo com as normas vigentes, estava programada para 18 de maio deste ano.

Feridos gritavam de desespero, contou moradora que ajudou

Com o desastre, todas as ruas de acesso ao local do acidente precisaram ser fechadas pela Polícia Militar e pelo Corpo de Bombeiros. Muitos curiosos se amontoaram para acompanhar o socorro aos feridos e a retirada dos corpos. Bastante assustada, uma moradora contou que foi uma das primeiras pessoas a chegar ao local. Segundo ela, os feridos gritavam de desespero e dor.

“Um morador tirou quatro feridos do ônibus. Um garotinho ferido, com uns 10 ou 12 anos, chorava muito”, contou a testemunha, que pediu para não ter o nome revelado.

Da redação: setelagoas.com

Deixe uma resposta