‘A conduta dela foi heroica’, diz delegado sobre professora que morreu em creche em Janaúba

0
163
Professora morreu no hospital (Foto: Juliana Peixoto/ G1)

Segundo o delegado, Helley Abreu Batista, de 43 anos, lutou com autor para salvar os alunos; ela teve 90% do corpo queimado e morreu no hospital.

Uma das vítimas do incêndio criminoso em uma creche em Janaúba, no Norte de Minas Gerais, Helley Abreu Batista entrou em luta corporal com o autor do crime para tentar salvar seus alunos. “A conduta dela foi heroica, ela mostrou que estava ali realmente pra proteger todas aquelas crianças”, disse o delegado Bruno Fernandes Barbosa sobre a educadora, de 43 anos.

Ela teve 90% do corpo queimado e morreu no hospital cerca onze horas depois da tragédia. Além de Helley, cinco crianças morreram depois que Damião Soares dos Santos, de 50 anos, ateou fogo ao seu próprio corpo e ao corpo de alunos do Centro Municipal de Educação Infantil Gente Inocente. Santos morreu no hospital, poucas horas após o crime.

Entre os colegas de profissão, Helley é definida como uma guerreira, que sempre cuidou dos seus alunos com muita dedicação. “Ela era muito cativante, alegre e conseguia envolver cada aluno com seu olhar peculiar. Ser professor é ser Helley Abreu”, disse Eliane Faria, pedagoga que trabalhou como supervisora em uma escola onde a Helley lecionou, em 2016.

A professora era casada e deixa três filhos, de 1, 11 e 13 anos. “Ela alegre, de bem com a vida. Cheia de fé e esperança. Era isso que tinha, muita esperança. Estou desolada como amiga e colega de profissão. Helley lutou até o fim”, conta Elisdete Souza da Silva, pedagoga.

Segundo a Prefeitura, Helley era contratada pelo município desde 2016 e começou a trabalhar no Centro Municipal de Educação Infantil Gente Inocente, onde ocorreu a tragédia, neste ano. O corpo dela está sendo velado em Janaúba e o enterro está previsto para às 16h desta sexta-feira (6) no Cemitério São Lucas.

Vítimas

Cinco crianças de 4 anos morreram no ataque à creche. O autor, que trabalhava como vigia da instituição, também morreu.

A perícia indica que ele fechou três salas da creche, onde havia entre 55 e 60 pessoas. Ele tirou um galão da mochila, jogou álcool nas crianças e ateou fogo. Logo as chamas se espalharam por outras salas. O homem teria ainda segurado as crianças, impedindo que elas saíssem.

Segundo o Instituto Médico Legal morreram no ataque:

Ana Clara Ferreira Silva, 4 anos
Luiz Davi Carlos Rodrigues, 4 anos
Juan Pablo Cruz dos Santos, 4 anos
Juan Miguel Soares Silva, 4 anos
Renan Nicolas Santos, 4 anos
Helley Abreu Batista, professora, 43 anos

(Foto: Arte/G1)
(Foto: Arte/G1)

Fonte: G1.com/notícias

Deixe uma resposta