A insatisfação popular

0
1989

Até segunda feira dia 25, no inicio dessa semana, pairava no ar uma pergunta que rondava na cabeça do povo brasileiro: Haverá ou não o horário de verão?

Cogitou-se até em fazer uma pesquisa na internet para saber o desejo do povo brasileiro se aprovava ou não adiantar o relógio em uma hora.

O interesse de fazer uma pesquisa popular através da internet partiu do próprio Presidente Michel Temer, ao tomar conhecimento pela mídia que o índice de insatisfação da população com a mudança do horário no verão tinha percentuais elevados.

Será que ele está com tanto medo do índice de insatisfação popular?

Recordo-me quando foi implantado no Brasil sem interrupções em 1985 o horário de verão, não houve pesquisa popular para saber o índice de satisfação ou não do povo brasileiro.

Simplesmente ficou estabelecido que tivessem que cumprir o determinado pelo governo Federal para a “redução do consumo de energia elétrica”. E pronto. Cumpra-se.

Como diz o ditado: “Manda quem pode e obedece que tem juízo”.

Agora em 2017, a definição da continuidade do horário de verão no país só se confirmou após várias conversas entre políticos e o presidente Michel Temer.

Notícias oficiais do governo federal estabeleceu-se que o horário de verão iniciará no dia 15 de Outubro de 2017 e encerrará dia 17 de Fevereiro de 2018. E pronto. Cumpra-se.

O fim de adiantar os relógios, que estava sendo debatido por um grupo de trabalho na Casa Civil, dependeu apenas do aval do presidente da República Michel Temer para passar valer, dispensando a necessidade de ser aprovado pelo Congresso.

Depois de toda essa discussão não prevaleceu à insatisfação do povo que não aprova mais esse horário que interfere no corpo que procura adaptação imediata.

Até quando a vontade do povo será em vão?

Uma pergunta básica: Os bilhões que serão economizados com a redução do consumo de energia conforme previsto pelo governo federal, já tem destino?

Publicidade UP 360.cdr

Até a semana que vem se Deus quiser, e Ele há de querer.

Arnaldo Martins

Cebolinha

Deixe uma resposta