PARADA LGBT DE SETE LAGOAS FECHOU A SEMANA DA DIVERSIDADE COM PÚBLICO APROXIMADO DE 3 MIL PESSOAS

3
2163
Barbara Dias, Dj Ticyane Beuatty e Paola Venturyni

Sete Lagoas se vestiu das cores do arco íris na tarde deste domingo (10), com a Parada do Orgulho LGBT, promovida pelo Movimento LGBT de Sete Lagoas. Com presença de autoridades e grupos de militância de todo o Brasil, o evento foi sucesso de público, lotando o espaço de shows do Parque Náutico da Lagoa Boa Vista, gritando por direitos iguais, contra a intolerância, contra a transfobia, pedindo um basta à LGBTfobia.

O Prefeito Leone Maciel esteve no evento, apoiando as causas LGBTs e a militância sete-lagoana. Além do líder do Executivo, os vereadores Rodrigo Braga e Zé do União também prestigiaram O evento, além do Secretário Adjunto de Cultura e Juventude, Alan Keller. Por se tratar de um evento de luta pelas causas da comunidade LGBT, Sete Lagoas recebeu também Reinaldo (Rei) da UNA LGBT-MG, Carlos Magno da ABLGBT, Rhany Mercês da FonaTrans (FORUM NACIONAL DE NEGRAS E NEGROS TRAVESTIS E TRANSEXUAIS), Jeferson Campos, Breno Fiel e Diego RD do Movimento LGBT de Pompéu, dentre outros.

A Parada do Orgulho LGBT de Sete Lagoas, em sua VI edição, superou todas as expectativas, alcançado uma marca aproximada de 3.000 pessoas, contando com atrações artísticas de Sete Lagoas e Belo Horizonte. A equipe do FALA AÊ, página que vem atraindo a atenção dos internautas e conquistando cada dia mais espaço na WEB também esteve presente. Com apresentação de Barbara Dias e Paola Venturini, o evento culminou com uma passeata na orla da Lagoa Boa Vista, com apoio da comunidade vizinha, sem nenhuma ocorrência de furto, roubou ou agressão.

Em 2017 a Parada levou o tema: “Não é preciso ser trans para lutar contra a transfobia”, devido à quantidade de homicídios e atos de violência voltados à população trans do Brasil, que atualmente lidera o ranking vergonhosos de país que mais assassina Trans, travestis e LGBTs no mundo, superando os 13 países do Oriente Médio e África, onde existem leis de pena de morte contra essas pessoas.

Conquistas também foram apresentadas durante a Parada. Comemorou-se a parceria com a Defensoria Pública que garantiu a retificação de nomes das pessoas trans e travestis em Sete Lagoas no último dia 06 deste mês e para o mês de abril de 2018, está programado para acontecer o primeiro casamento coletivo de casais homoafetivos de Sete Lagoas.

Encerrando as atividades da Primeira Semana da Diversidade Sete-lagoana, logo após a Parada do Orgulho LGBT, aconteceu uma festa no Opinião Pub.

Por Giovani Cruz

3 COMENTÁRIOS

  1. foi nota 10 e parabéns para o prefeito que demostrou respeito e apoio ao evento ,,e também queria ver as fotos que foram tiradas nesse dia … obrigado a todos principalmente ao Fabio paiva

Deixe uma resposta