HUMILDADE É UMA VIRTUDE

0
598

“Caldo de galinha e um pouco de humildade nunca fez mal a ninguém”. Na última edição de nossa Conversa Afiada, falamos da importância de educar bem os nossos filhos, e a humildade é uma das regras que eles deverão aprender. Certamente viveremos num Brasil melhor amanhã, com uma boa educação dada aos filhos de hoje. É lastimável ver noticiários da TV os nossos professores sendo vítimas de agressões fisicamente de alunos dentro de uma sala de aula. Em depoimento dos próprios pais dos “adolescentes violentos” o motivo é porque elas conviveram com agressões e brigas dentro da própria família.

A rebeldia dos adolescentes nas escolas é porque não recebem uma educação digna dentro de casa, e os ensinamentos terão que vir dos pais ou responsáveis pela criação dentro de uma casa. A responsabilidade pela educação familiar dos filhos é dos pais ou responsáveis e não das escolas. Serei repetitivo sim, mas é importante que os pais ou responsáveis tenham conhecimento de tudo que ocorre com os seus filhos dentro de uma escola e participe da educação escolar. Professores não são pagos para dar moral, caráter, dignidade e responsabilidade aos alunos. Lembre-se que a criança de hoje será um adulto amanhã. Se convivermos com adultos que não tiveram uma educação saudável quando crianças, os reflexos negativos aparecerão com certeza nas crianças de hoje.

Iniciamos o nosso bate papo dessa semana com uma frase dita pelos nossos pais na educação familiar, e com isso aprendemos que “a educação vem de berço”. Atentem para a história abaixo:

– Um menino de rua de 12 anos de idade entrou numa sorveteira, sentou se em uma mesa e perguntou para a garçonete que passava: Quanto custa um sorvete?

R$ 3,00 – Respondeu a moça.

O menino tirou algumas moedas do bolso e começou a contá-las bem devagar para não errar.

Ele havia passado a manhã toda catando latinhas e tinha apurado aquele dinheiro.

Quanto custa o picolé mais barato? Voltou a perguntar o menino.

A essa altura, já havia mais pessoas esperando para serem atendidas, e a garçonete estava perdendo a paciência.

R$ 2,00 – Respondeu ela, de maneira brusca.

O menino, mais uma vez, contou as moedas e disse: – Eu vou querer, então, o picolé de R$ 2,00.

Após alguns minutos, a garçonete trouxe o picolé e a conta, colocou-os na mesa e foi atender outros clientes.

O menino terminou o picolé, pagou a conta no caixa e saiu.

Quando a garçonete voltou para limpar a mesa, sentiu uma dor profunda no peito e começou a chorar.

Na mesa,  o garoto havia deixado R$ 1,00 todo de moedas.

Ele havia escrito em um guardanapo: – “Esta gorjeta é para a senhora”. É pouco, mas é de coração. Com isso, ela percebeu que o menino tinha pedido o picolé mais barato para que sobrasse uma gorjeta para ela, mesmo ela tendo sido ríspida com o garoto.

Moral da história: Quantas vezes julgamos as pessoas pela aparência, e não pelo seu coração? Não é necessário melhorar a aparência, adquirir muita cultura, aumentar o salto do sapato, ou levantar mais o nariz. Precisamos diminuir o barulho, caminhar mais devagar, prestar atenção e colocar a humildade para funcionar. “Somos grandes, quando somos pequenos.”

Publicidade UP 360.cdr

Até a semana que vem se Deus quiser, e Ele há de querer.

Por Arnaldo Martins

Cebolinha

Deixe uma resposta