PREFEITO DA CIDADE DE BALDIM PODE PEGAR ATÉ 10 ANOS DE CADEIA

0
579
Reprodução

“Zito” foi indiciado por pedofilia e desvio de recursos públicos

A situação do atual prefeito de Baldim, João Antônio Trindade, o “Zito” (PT), está cada vez mais complicada. Preso preventivamente desde 24 de julho o prefeito foi indiciado pela Polícia Civil de Minas Gerais, que finalizou o inquérito criminal na quinta-feira, 3.

A delegada chefe da Delegacia de Combate aos Crimes Praticados por Agentes Políticos Municipais, Karen de Paula Lopes, indiciou o político pela prática de pedofilia e uso indevido de recursos públicos.

Por meio de sua assessoria de comunicação a Policia Civil informou que o Prefeito foi indiciado no artigo 218b do Código Penal, que é aplicado em quem submete, induz ou atrai à prostituição ou outra forma de exploração sexual alguém menor de 18 anos”.

O prefeito teria trocado mensagens de cunho pornográfico com um adolescente de 16 anos, utilizando um aparelho de telefonia celular da prefeitura. Zito ainda foi indiciado segundo o artigo 1º, inciso 2º, do Decreto Lei 201/67 aplicado ao político que “utiliza-se, indevidamente, em proveito próprio ou alheio, de bens, rendas ou serviços públicos”.

Em seu lugar a prefeitura de Baldim está sendo administrada pelo vice-prefeito Alex Vander de Souza (PT). Até o momento a Câmara Municipal de Baldim não instaurou CPI ou Comissão Processante para analisar e apurar o futuro do prefeito preso.

ATÉ 10 ANOS DE CADEIA – Os indiciamentos pelos crimes de pedofilia e desvio de recursos públicos compõem o mesmo inquérito, agora sob análise do Ministério Público e do Tribunal de Justiça de Minas Gerais.

Se condenado “Zito” poderá pegar de 4 a 10 anos de prisão no caso de pedofilia. A outra penalidade, acerca do mau uso dos recursos públicos, somente será determinada após o julgamento.

Como “Zito” está preso preventivamente deverá continuar assim até o julgamento, a menos que haja decisão judicial em contrário permitindo que ele responda ao processo em liberdade. “Zito” está preso no Complexo Penitenciário Nelson Hungria.

Extraído do Jornal Notícia de Sete Lagoas – Ed. 670

Deixe uma resposta