ESTOU DE MALA PRONTA

0
2118

Vamos dar uma trégua na política essa semana e dar “pitacos” no futebol brasileiro. Em apenas 15 rodadas do campeonato brasileiro disputadas, já tivemos 13 técnicos demitidos. Como dizemos “a foice ta correndo solta”.

Os motivos de tantas demissões nos clubes não são para redução de custos, mas sim pela falta de qualidade do trabalho conforme dados dos próprios presidentes das equipes. Agora entendendo por que as multas rescisórias de contratos dos técnicos com os clubes são com valores tão altos. Eu até usaria a frase de cargo comissionado: “Eu não sou, eu estou”. Afinal de contas, quando a posição “ta preta na tabela” a cabeça mais próxima é sempre do técnico. Daí o título de nossa Conversa Afiada dessa semana: “Estou de mala pronta”.

Se o leitor (a) observar a foto ilustrativa do texto, verá que os técnicos contratados já estão indo trabalhar com a mala debaixo do braço. Caso seja demitido após a partida, já estarão pronto para retornar para casa. Não é a primeira vez que falo no assunto e continuo achando que a culpa não é somente dos técnicos que “colocam suas cabeças a prêmio” a cada partida.

Às vezes os presidentes ou responsáveis para negociar atletas, não têm a capacidade técnica ou financeira para montar plantel capaz para disputar uma competição que exige jogadores de qualidade técnica e reservas à altura para compor um grupo.

Um ditado popular que está sempre nas rodas de bate papo é: “Futebol é uma caixinha de surpresa”. Mas existem fatos que acontecem e também dizemos: “Eu já assisti esse filme antes”. Recorda? É quando os times montam plantel de jogadores “já rodados” ou “macaco velho”, “experientes, mas cheio de manias” e os técnicos são novos e “pouco rodados” para comandar a equipe.

Com pouco tempo “as panelinhas” já começam a surtir efeitos, o rendimento das equipes caem, e a primeira cabeça a cair é do técnico. O Atlético mineiro, por exemplo, é uma equipe que já montou plantel com Renato Gaucho e Cia, e se deu mal, e outras equipes também consideradas da elite do futebol brasileiro já tiveram a mesma experiência desagradável. Fala-se muito que nas “panelinhas” do futebol normalmente a cabeça do técnico é a mais premiada, mas já tivemos casos em que cabeças de “figurões” também ficaram marcadas.

No atual plantel do Atlético mineiro temos hoje Rafael Moura, Valdivia, Fred, Marlone, que estiveram em times que caíram para a série B. Lembra-se? São dados estatísticos que o futebol nos apresenta hoje.

Para os torcedores que gostam de achar respostas rápidas eu pergunto: Será que os meninos que estão subindo agora do time Junior irão sustentar os salários altos de Robinho, Rafael Moura, Luã, Fred, Marlone, Valdivia e Cia?

Não estou usando o time do galo como “cristo”, apenas vejo que é um time de ponta e não merece a situação crítica que está passando. Quem não se recorda da célebre frase: “Caiu no Horto ta morto”? Até o Horto já foi substituído. É aí que muita gente diz: “Eu já vi esse filme antes”.

Fica uma perguntinha no ar: Se é que existem panelinhas de “experientes jogadores” para derrubar treinadores, não existirá também panelinha dos “pequenos” para derrubar os “grandes? O futebol é uma verdadeira caixinha de surpresa.

Enquanto isso os treinadores ficam pulando daqui prá li para tentar consertar a casa que o seu colega desarrumou. Mas pode ter certeza que outras cabeças irão rolar. Sua mala já está pronta?

Publicidade UP 360.cdr

Até a semana que em se Deus quiser, e Ele há de querer.

Arnaldo Martins

Cebolinha

Deixe uma resposta