NÃO TENHO TEMPO

0
2059

Certamente nossos filhos já estão curtindo o período de férias escolares. Mesmo que as datas dos descansos não coincidam com as férias dos pais, ou mesmo a situação econômica financeira não esteja no momento satisfatório para realizar viagens e passeios, não se esqueça que o seu tempo é fundamental para o seu filho (a).

Está tudo muito atribulado (tumultuado) nos últimos anos no Brasil, e até o encerramento do 1º semestre escolar dos filhos já não coincide mais com as férias programadas que muitos pais têm para viagens com os familiares. Certo é que as escolas terão que cumprir os dias letivos independente dos dias de “greves e paralisações” dos professores. Os culpados das paralisações não me cabem julgar. Isso sem falar a qualidade do ensino no Brasil que não é das melhores enquanto assistimos nossos filhos sendo empurrados de um ano para o outro e às vezes sem o aprendizado necessário.

Diz a célebre frase: “O tempo não volta o que volta é à vontade de voltar no tempo”. O tema dessa semana é justamente para alertar aos pais que independente de férias escolares ou não, os filhos têm o direito e são merecedores do respeito e carinho.

No primeiro parágrafo de nossa “Conversa Afiada” citei as férias escolares dos nossos filhos, mas lembrando que estará iniciando o mês de agosto, que no calendário anual chamamos de mês dos “Pais”, portanto, um motivo a mais para dedicarmos mais aos nossos filhos. Você já parou para pensar que tem sempre um tempinho para a cervejinha gelada com os amigos, o futebol nos finais de semana, os churrasquinhos no clube com os amigos e jogos de peladinha? Enfim, para os amigos tudo e para os filhos nada?

Por mais comprometido profissionalmente que estejamos em nosso dia a dia, sempre haverá um “tempinho” para ser dedicado aos filhos. Pense nisso enquanto há tempo. Atentem para a história abaixo:

– No parque, uma mulher sentou-se ao lado de um homem.

 Ela disse: Aquele ali é meu filho, o de suéter vermelho deslizando no escorregador.

– Um bonito garoto – respondeu o homem – e completou: – Aquela de vestido branco, pedalando a bicicleta, é minha filha.

Então, olhando o relógio, o homem chamou a filha. Melissa, o que você acha de irmos?

Mais cinco minutos, pai. Por favor, só mais cinco minutos!

O homem concordou e Melissa continuou pedalando sua bicicleta, para alegria de seu coração.

Os minutos se passaram, o pai levantou-se novamente chamou sua filha: Hora de irmos, agora?

Mas, outra vez Melissa pediu: Mais cinco minutos pai. Só mais cinco minutos!

O homem sorriu e disse: Está certo.

– O senhor é certamente um pai muito paciente – comentou a mulher ao seu lado.

O senhor sorriu e disse: O irmão mais velho de Melissa foi morto no ano passado por um motorista bêbado, quando montava sua bicicleta perto daqui. Eu nunca passei muito tempo com meu filho e agora eu daria qualquer coisa por apenas cinco minutos com ele. Eu me prometi não cometer o mesmo erro com Melissa. Ela acha que tem mais cinco minutos para andar de bicicleta. Na verdade, eu é que tenho mais cinco minutos para vê-la brincar.

Moral da história: Em tudo na vida estabelecimentos prioridades. Quais são as suas?

Lembre-se: “Nem tudo o que é importante é prioritário, e nem tudo o que é necessário é indispensável”.

Publicidade UP 360.cdr

Até a semana que vem se Deus quiser, e Ele há de querer.

Por Arnaldo  Martins

Cebolinha

Deixe uma resposta