ANÁLISE: APÁTICO E DESORGANIZADO, GALO TEM MARCAS NEGATIVAS ANTES DA “ERA MICALE”

0
353
Ouro com o Brasil na Rio 2016, Micale assume o Galo nesta segunda (Foto: Lucas Figueiredo / MoWA Press)

Atlético-MG joga mal mais uma vez e Rogério Micale, novo treinador do time, terá que mexer no psicológico dos jogadores até a partida contra o Botafogo,
pela Copa do Brasil

Um time desarrumado, desorganizado e bastante pressionado. Esta será a primeira impressão que Rogério Micale encontrará quando chegar na Cidade do Galo nesta segunda-feira, dia seguinte à derrota para o Vasco por 2 a 1, no Independência. A mudança de treinador na quinta-feira – quando a diretoria demitiu Roger Machado – mexeu muito pouco com os jogadores e causou a revolta na torcida ao fim dos 90 minutos, quando a equipe alvinegra perdeu mais uma vez em casa.

A atuação contra o time carioca foi uma das mais apáticas do Atlético-MG no Campeonato Brasileiro, e olha que não foram poucas, mesmo com a equipe vencendo algumas partidas sem jogar bem, como foi contra o Avaí. Segundo pior mandante do torneio, o Galo tem a pior campanha em casa na história dos pontos corridos, com duas vitórias, dois empates e cinco derrotas (10 gols feitos e 13 sofridos).

A última vez que o Atlético-MG sofreu três derrotas seguidas em casa foi em 2011. De lá até a partida de ontem, quando foi derrotado pela terceira vez consecutiva, o Galo teve temporadas inteiras com menos derrotas do que na atual sequência. Em 2014, por exemplo, foram apenas três derrotas no ano inteiro em Belo Horizonte. Em 2012, não perdeu nenhuma como mandante, e em 2013 apenas uma vez.

 Galo voltou a apresentar futebol ruim em casa neste Brasileiro e foi derrotado (Foto: Futura Press)
Galo voltou a apresentar futebol ruim em casa neste Brasileiro e foi derrotado (Foto: Futura Press)

O tropeço para o Vasco escancarou a ausência tática do Atlético-MG, que não conseguiu fazer nenhuma jogada mais trabalhada. De onde poderiam esperar lances diferentes, para surpreender o adversário, nada saiu, casos de Marlone, Otero e Robinho. O gol saiu em um lance de felicidade de Yago, que acertou um belo chute, isso quando o time já perdia por 1 a 0, após a defesa ser batida em lançamento de Escudero, aquele mesmo que saiu do Galo sem deixar saudades.

No segundo tempo, com Cazares, a criação fluiu um pouco melhor pelo meio, mas sem sucesso nas pontas. Enquanto penava para criar chances, a defesa não passava sustos, mas viu um contragolpe mortal do Vasco ser o suficiente para recolocar os cariocas em vantagem. Com a pressão ainda maior e o tempo curto, coube ao meia equatoriano dar um chute perigoso para tentar o empate. Pouco demais para evitar o novo tropeço no Independência.

Rogério Micale terá dois treinos para mudar um pouco da apatia atleticana e começar a dar sua cara a equipe que tem uma decisão na quarta-feira, contra o Botafogo, pela Copa do Brasil, no Rio de Janeiro. A mudança neste primeiro momento deverá ser mais de peças e postura do que tática. Uma dessas alterações deverá ser a saída de Rafael Carioca, que definirá sua ida para o Tigres nesta segunda-feira.

Fonte: globoesporte.com

Deixe uma resposta